sábado, 14 de janeiro de 2017

Último dia em Cracóvia - Auschwitz e Birkenau

O último dia completo em Cracóvia foi dedicado à visita de Auschwitz e Brikenau. Para rentabilizar o tempo decidimos recorrer a uma agência (Krakow Direct) e não temos razões de queixa: foram buscar-nos à hora marcada à porta do hotel e no final do dia trouxeram-nos de novo num mini bus com lotação máxima de 10 (?) pessoas. Durante a viagem de ida passam um pequeno documentário onde é possível ficar a conhecer um bocadinho mais da história (e do horror) dos campos, o que acaba por ser uma boa introdução e uma forma de aproveitar o percurso de carro (um pouco mais de 1hora).
À chegada a Auschwitz, o guia dá-nos autocolantes com o número do nosso autocarro e juntamo-nos a outros grupos para a visita guiada (cada pessoa recebe auscultadores, o que facilita bastante na hora de ouvir as explicações do guia). Preparem-se porque o campo está CHEIO de gente (e estava um frio do caraças, imagino no verão!): a fila para a segurança demorou uns 30 minutos, os grupos são demasiado grandes e o ritmo é bastante rápido (ou pelo menos eu achei). A minha primeira impressão do campo foi a de que era muito mais pequeno do que eu o imaginava depois de tantos filmes e documentários! Ouvimos histórias de pessoas com um nome e um rosto enquanto atravessamos celas solitárias, caves sem luz, corredores com imagens de prisioneiros, contentores de sapatos, roupas e cabelo (!) humano. Apesar de cheio, só se ouvem os passos das pessoas a andar nos corredores, na terra batida, nas pedras. É como se tudo fosse um constante murro no estômago e é por isso que apesar de ter tirado fotografias a cores (estava um dia lindo de sol!), decidi que ia ilustrar este post apenas com as minhas fotografias a preto e branco.


Depois de um intervalo de 15 minutos para almoço (aconselho a levarem o vosso almoço, as filas são intermináveis!), fomos para Birkenau, um campo cuja visita se faz totalmente ao ar livre e onde os edifícios não estão tão preservados. E se Auschwitz me pareceu mais pequeno do que imaginava, Birkenau esmaga pela dimensão, a um nível que eu não pensava encontrar. Para qualquer lado que se voltem só vêem ruínas de chaminés, a perder de vista. Aqui não havia auscultadores e nem sempre era fácil ouvir o guia, mas o simples passeio pelas ruínas do edifícios e a dimensão do campo faz a visita.

(For ever let this place be a cry of despair and a warning to Humanity, where the Nazis murdered about one and a half million men, women, and children mainly Jews from various countries of Europe. Auschwitz-Birkenau 1940-1945)

Foi um dia longo mas sem dúvida que a visita vale a pena. Como dizia o guia no final da visita a Auschwitz, toda a gente a deveria fazer uma vez na vida. Porque "quem desconhece a história está condenado a repeti-la".

11 comentários:

  1. Obrigada por este post, Agnes!
    Belíssimas fotografias e não poderia concordar mais com o que disse o guia.
    Beijinho e bom fim-de-semana!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada por teres gostado :) Foi uma visita que mexeu bastante comigo e acho que tê-la feito no inverno com o frio que estava naquele dia apertou ainda mais o meu coração (se é que isso faz sentido). Sabes que enquanto andava por ali não me conseguia esquecer de todas as pessoas que negam o Holocausto, como é que alguém pode fazer uma coisa dessas? Acho que mais do que tudo, foi a incredulidade que marcou a minha visita aos campos, pelo detalhe no horror de tudo aquilo. Isso e a dimensão de Birkenau, enquanto andava não conseguia pensar noutra coisa!

      Eliminar
  2. Olá Agnes
    Acho a história toda demasiado triste e, sinceramente, não creio que vá lá tão cedo. Já vi tanta coisa triste também por aqui que prefiro, por enquanto, os documentários (sou uma manteiga derretida, e certamente ia cair em prantos ao ver tantas lembranças de pessoas que não mereciam estar ali....
    Suas fotos em preto e branco ficaram maravilhosas e acho que condizem perfeitamente com a alma do lugar!

    Bjs

    Bia
    www.biaviagemambiental.blogspot.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Beatriz! Concordo que faz impressão e percebo quem não queira fazer a visita (eu própria desviei o olhar em muitos sítios e não tirei fotografias a tudo) mas ao mesmo tempo achei único estar num lugar com tanta história (história horrível, é certo) quase como se fosse irreal estar a pisar um lugar onde ocorreram tantas atrocidades. E acho que mais do que pena, o que senti foi vergonha da humanidade e incredulidade, muita incredulidade por algo daquela dimensão ter ocorrido.
      Obrigada por teres gostado das fotografias! Beijinhos

      Eliminar
  3. Agnes, que fotos tão bonitas! Embora de um sítio com tantas más memórias, não deixa de ser interessante.
    Gostava de um dia visitar a Polónia, mas tenho receio de não saber lidar com todo o terror que foi vivido nesses locais...

    Beijinhos e espero ver-te em:
    Porty's Diary - Blog
    Porty's Diary - Facebook

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que vale a pena porque é completamente diferente quando se pisa o chão que só se vê em documentários, filmes ou livros de história. Se achares que é demais podes sempre passar salas ou partes da visita, ou escolher não ouvir as histórias do guia (que é isso que atormenta um bocado).

      Eliminar
  4. Fui duas vezes a Auschwitz e Birkenau, e impressionei-me igualmente em ambas. Concordo que todos deviam ir pelo menos uma vez, porque há lições que têm mesmo que ser aprendidas.
    Eu fui no Verão e não havia assim tanta gente, se calhar tiveste azar. Ou eu tive sorte!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se calhar tive mesmo azar ;) Ou então era eu que esperava que fosse um sítio mais "calmo" em termos de turismo, provavelmente um bocadinho dos 2.

      Eliminar
  5. Ola Agnes, vim aqui atraves do Blog da Sandra que fala sobre o teu post.
    Nunca visitei os campos da Polonia, mas visitei Dachau na Alemanha e apesar de ter sido ha mais de 20 anos, ainda me recordo que foi uma visita chocante. E incrivel como ha gente que ainda pensa que isto nao aconteceu!
    Concordo plenamente com o guia e acho ate que estes campos deviam ser de visita obrigatoria para que nada disto se volte a repetir!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Choca-me imenso haver quem ache que isto não aconteceu! Mais uma razão para toda a gente visitar e não ser apenas uma história que se lê nos livros de História...
      (andei tão afastada dos blogs que nem reparei que fizeram um post a falar deste meu post! Obrigada pela visita!)

      Eliminar
  6. Gostei muito da sua foto-reportagem, Agnes.
    É imprescindível que não se perca a memória,
    porém, vemos, tristemente, judeus a cometerem
    crimes de extermínio...
    Dias felizes.
    ~~~~~~~

    ResponderEliminar