segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

A aproveitar as férias

Qualquer emigrante se torna o melhor project manager quando regressa à pátria por uns dias: é preciso ver amigos e família e encaixar os programas de toda a gente para se conseguir ir jantar ao sítio A no dia B com a pessoa C. Este ano, e talvez porque venho duas semanas, estou bastante contente com os meus achievements até hoje. Consegui ter tempo para a santíssima trindade de qualquer visita à pátria (manicure, pedicure e cabeleireiro, pois claro, ahah), almoços à beira-mar sem tempo contado, visitas de não-médico a amigos e família, horas de futilidade em espaços comerciais, tempo 'perdido' a ler ou ver séries e ... dormir! Sim, nestas férias tenho-me vingado em horas de sono num quarto com persianas decentes (ou com persianas, vá), espectacular! E como o ano novo se aproxima estou já a preencher o calendário com as viagens (e os dias de férias) de 2017, a melhor rotina de qualquer fim de ano. Até agora, temos Paris, Colorado e Utah, destinos ditados pelo trabalho mas onde vou ficar mais alguns dias porque estas coisas são sempre de aproveitar, obviamente.



Claro que também ando a pensar onde ir para celebrar a chegada dos 30 (eu disse que ando com demasiado tempo livre, não disse? e que sofro de uma desordem mental em relação a marcar viagens viagens, não é?) mas isto não está fácil. Grécia (caaaaaaro como tudo), México, Islândia, Jordânia (está quase a sair da lista por causa do alerta de terrorismo), Noruega, Rússia (idem para o terrorismo)... já quase tudo me passou pela cabeça mas estou um bocado cansada de tentar coordenar férias alheias, com voos e hotéis e afins (#firstworldproblems). Vou passar a batata quente para 2017.

4 comentários: