domingo, 14 de agosto de 2016

Aos domingos dá-me para filosofar

"The great moments of your life won’t necessarily be the things you do; they’ll also be the things that happen to you. Now, I’m not saying you can’t take action to affect the outcome of your life, you have to take action, and you will. But never forget that on any day, you can step out the front door and your whole life can change forever. You see, the universe has a plan kids, and that plan is always in motion. A butterfly flaps its wings, and it starts to rain. It’s a scary thought but it’s also kind of wonderful. All these little parts of the machine constantly working, making sure that you end up exactly where you’re supposed to be, exactly when you’re supposed to be there. The right place at the right time." (Ted Mosby, How I met your mother)


Moro ao fundo da mesma rua onde há quase 15 anos tive aulas de inglês com o melhor campo de férias de sempre. Eu sei que é parvo achar que há aqui alguma relação cósmica mas o Ted Mosby que há em mim não deixa de achar uma coincidência fantástica. Sobretudo porque o meu caminho até aqui foi tudo menos óbvio: estive quase para ir para Munique, Paris ou até regressar à Holanda mas depois de uma série de ses e contratempos acabou por ser Oxford a acolher-me naquele que se espera ser um interregno prolongado nesta vida de nómada. E não sei se é de me sentir verdadeiramente em casa mas apesar de ainda não ter chegado onde queria (ou será que quando lá chegar haverá outra meta atingir?) acredito mesmo que estou onde devia estar. E acho que não há outra forma de terminar este post que não seja com a música que ando a ouvir em repeat até enjoar (hmm, nunca?). Carry on, people, carry on.

Sem comentários:

Enviar um comentário