sábado, 23 de julho de 2016

Washington DC - o último dia

Finalmente chegámos ao último post da viagem aos Estados Unidos (onde já me parece ter estado há séculos e não apenas há um mês atrás!).
O último dia em DC foi passado em ritmo lento, com direito a brunch para começar e depois uma longa caminha até ao Arlington Cemetery. Eu sei que pode parecer um bocado mórbido dizer que passámos grande parte do dia num cemitério mas achei-o bastante tranquilo e nada pesado apesar dos constantes avisos a pedir silêncio e respeito. E claro, para mim era inconcebível estar em DC e não passar por lá, é demasiada história num sítio só para se ignorar este passeio!
Assim, começámos na Casa Branca (última tentativa para ver o Barack - sem sorte), espreitámos o South Lawn pela primeira vez mas havia um enorme perímetro de segurança e era impossível contornar completamente o terreno, apenas estar junto à parte da frente (de onde tirei a primeira fotografia, no dia 1) ou à parte de trás, de onde é a fotografia abaixo. Ia com ideias de ver a horta da Michelle como a IM mostrou no seu blog mas sem sucesso, snif (nota como tirámos fotos quase às mesmas coisas, ahah!).
Embarcámos na loucura e voltámos ao Lincoln Memorial, atravessámos a ponte e após uma caminhada que parece mais curta do que é na verdade (trust me...) chegámos.
Ei-la: a entrada do Arlington Cemetery!
Existe um Visitor Centre logo à entrada onde é possível comprar bilhete para andar num pequeno comboio que atravessa o parque mas o tamanho das filas era desencorajador e por isso agarrámos num mapa e fomos a pé.
Há dois sítios onde toda a gente vai: o Túmulo do Soldado Desconhecido e o do Jonh F. Kennedy e há placas a indicar a caminho em quase todo o lado. O cemitério tem ruas com números e zonas e por isso é muito fácil orientarem-se a partir do mapa.
 
o JFK e a Jacqueline
Quando se olha para o lado oposto, existem frases de discursos do JFK - esta é a famosa passagem "ask what you can do for your country"
o "silence and respect" está em vários sítios e eles levam-no MUITO a sério
A cerimónia no Túmulo do Soldado Desconhecido (Tomb of the Unknown Soldier), a coisa mais impressionante a que já assisti: a música (e o aperto no peito que uma corneta? pode causar!), a solenidade, toda a gente com a mão no peito (a pedido dos soldados), impressionante mesmo.
Existem homenagens a astronautas do Challenger e do Columbia
A imensidão de pedras brancas que é impossível de capturar numa fotografia

Antes de ir embora havia mais uma paragem obrigatória: o Iowa Jima Memorial, que não fica dentro do perímetro do Arlington Cemetery. Mas em vez de serem como nós e acreditarem que têm de dar de a volta por FORA do perímetro, vão por dentro na direcção do memorial porque existe uma saída por aí (não sei porque enganam os turistas e os fazem andar no caminho de bicicletas que contorna o cemitério...). O memorial fica junto ao Netherlands Carillon que enquanto ali estivemos esteve sempre a tocar e criou um ambiente especial (adoro o som dos sinos!).
Uncommon valor was a common virtue - para mim, a melhor frase num memorial
A vista fantástica

No regresso o calor derrotou-nos (foram mais de 3horas de passeio, só em Arlington!) e apanhámos um taxi para o hotel. Descansámos um bocado e fomos para o aeroporto, também de taxi (julgo que são uns 60 ou 70 dólares, já com tip). Gostei muito de DC, acho até que nem me importava de morar por lá se algum dia me passar pela cabeça atravessar o Atlântico... Agora, é pensar na próxima viagem! 

4 comentários:

  1. Olha eu aqui :) Thanks
    Mas que fique registado que apanhei um bus até ao cemitério, heheh.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foste claramente mais esperta que nós que achámos "naaah, não é assim tão longe". Claramente que a distância foi menosprezada!

      Eliminar
  2. Gostei de tudo. E senti-me lá, através da tua escrita. Bonitas fotos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fico contente que tenhas gostado :) Beijinhos

      Eliminar