quarta-feira, 4 de maio de 2016

Vou para casa

Passaram-se pouco mais de 4 anos desde que fiz as malas para sair de Portugal (como é que é possível que só se tenham passado 4 anos??). Habituei-me a viver um ano de cada vez, uma morada de cada vez e a coleccionar casas e amigos em várias cidades. Tenho procurado sempre mais, sempre melhor, e estou tão habituada a esta busca incessante pelo óptimo que ainda não sei como vou poder simplesmente parar. Ou melhor, ainda não me mentalizei que posso escolher deixar de achar que é tudo greener on the other side. E sim, agora vejo que foram precisas todas as peças neste dominó para chegar até aqui.
Quero sentir que faço bem em voltar para onde já fui feliz (e infeliz), mesmo que não seja a escolha mais óbvia ou talvez a mais acertada . É que os argumentos repetem-se e são todos válidos: "podes ganhar mais noutro sítio", "txii, isso é tão caro", "não terias mais oportunidades na Alemanha?", mas a verdade é que a felicidade é muito mais do que o número na conta do banco e há coisas que decididamente não têm preço - vou poder reunir amigos para jantar sem ter que marcar voos, acompanhar o meu afilhado nas corridas e estrafegar de mimos os meus futuros sobrinhos emprestados (sim, vou ser a tia fixe que faz muffins de chocolate, anda de baloiço e faz penteados infinitos nas bonecas). E, desculpem a lamechice, não consigo deixar de ver o lado poético no facto de, 15 anos depois, voltar ao sítio onde este espírito nómada começou: Oxford. É isso, pessoas, este ano vou para casa e, o que é mais estranho, não tenho um prazo para me vir embora.


13 comentários:

  1. Segue sempre o teu coração e a tua cabeça. Se sentes que Oxford é a tua casa e é lá que te sentes mais feliz, go.
    E com a tua experiência, saberás fazer os ajustes necessários (pagas mais de casa, poupas noutras coisas para equilibrar).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também acho que sim. Reli o post e achei que ficou demasiado tio Patinhas e não era essa a minha ideia, mas a verdade é que a diferença do custo de vida de Bremen para Oxford é abismal e muita gente me tem chateado a cabeça com isso. Mas por outro lado é uma aposta que vou fazer, não só por ser a cidade do meu coração como por ser aquela que neste momento me oferece o trabalho que eu queria.
      Obrigada pelo apoio! Um beijinho*

      Eliminar
  2. Então, tens as respostas que precisas, dúvidas houvessem. :-) Beijinho!

    ResponderEliminar
  3. Parabéns! Quem sabe se não é desta que vou visitar o countryside inglês...? :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada! Vem, é a cidade 'mai linda de todas :D

      Eliminar
    2. Com uma cicerone exclusiva. Vai pensando no que vamos ver, ahahah.

      Eliminar
    3. Claro, faço-te um roteiro personalizado ;)

      Eliminar
    4. Ahahaha, é melhor parar com a conversa senão não tarda e estou a comprar bilhetes. E este ano já não tenho agenda para mais férias, está dramático.

      Eliminar
    5. Acho que não te podes queixar das tuas férias este ano, que o Peru parece-me bem fixe e estou aqui com inveja, pronto, já disse :P

      Eliminar
    6. Eheh, não me estava a queixar, era mesmo só o constatar de um facto.

      Eliminar
    7. Só a tua viagem ao Peru vai valer por todos os city breaks :D Mas lá te espero em 2017!

      Eliminar
  4. Boa sorte e que tudo corra bem!


    Isabel Sá
    http://brilhos-da-moda.blogspot.pt

    ResponderEliminar