terça-feira, 31 de maio de 2016

Último passeio por Turim

No dia em que tive mais tempo livre decidi procurar a famosa vista de Turim que vem em todo e qualquer postal da cidade. Descobri que o sítio de onde todas essas fotografias são tiradas fica no Monte dei Cappuccini, do outro lado do rio. Para não estarmos sempre a fazer o mesmo caminho, fomos pela Ponte  Umberto I e voltámos pela Ponte Vittorio Emanuele I.


O caminho não tem nada que enganar: é sempre a subir! Custa um bocadinho se forem de saia de fato e blazer como eu (ok, com ténis, que não sou assim tão louca), mas a vista compensa tudo! Em dias sem nuvens é possível ver os Alpes no horizonte mas infelizmente nesse dia havia uma trovoada a caminho e só de alguns ângulos dava para adivinhar o contorno das montanhas. 


No topo existe um museu com uma esplanada mas queríamos aproveitar o resto do tempo para passear e por isso não entrámos.
A Ponte Vittorio Emanuele pode ser percorrida a pé, de eléctrico ou de carro mas foram os eléctricos as grandes estrelas da minha objectiva: adoro o aspecto garrido (e vintage!) numa cidade cinzenta por causa da chuva! Gostei ainda da vista para o rio e toda a zona verde ali à volta mas infelizmente as fotografias ficaram demasiado escuras por causa da luz que havia na altura e não lhe fazem justiça!




A caminho do Café Torino (pronto, confesso, gosto de fazer o roteiro dos cafés/pastelarias nos sítios por onde vou passando) encontrei um barbeiro com uma decoração original, uma série de praças e pracinhas e a Via Roma com todas as suas lojas desde a Louis Vuitton à H&M. Já tinha dado uma voltinha pelas lojas de Turim noutro fim de tarde (cof cof) mas só desta vez levei a máquina para registar os surroundings (vou poupar-vos a mais fotos de portas e janelas, ruas e ruelas).




O Café Torino fica na Piazza S.Carlo e foi aí que decidi provar e fotografar o famoso Bicerin. Não achei nada de especial (tragam-me os nossos pastéis de nada e meias de leite!) mas valeu pela experiência, sobretudo pelo agradável fim de tarde que passámos ali na praça.





Ficou por ver o Museu Egípcio, que fecha mais cedo que pensávamos (oooooh) e vai ter de ficar para outra visita. Para compensar, fomos afogar as mágoas em pizza num restaurante de bairro que não saberia indicar a ninguém porque não apontei o nome... quero só dizer que fiquei encantada por uma pizza custar 4,5 euros e ser ma-ra-vi-lho-sa! Para rematar, houve gelado na geladaria em frente e não, acho que não podia ter havido um final mais cliché para esta viagem...

5 comentários:

  1. Por tudo o que contas, acho que valeu bem a pena e aproveitaste bastante. ;-)
    Gostei muito destes posts (e confesso que fiquei curiosa pelas ruelas...).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Deu para ficar com uma boa ideia da cidade, é verdade :) Oh eu dei-me conta que passo a vida a fotografar ruas e edifícios, acho que toda a gente que viaja comigo apanha pequenas secas enquanto fotografo mais uma porta e uma janela, eheh.

      Eliminar
  2. :-))) Como te entendo...Temos de fazer um safari desses, um dia, as duas ( qualquer coisa como " Um dia, numa cidade qualquer, pela Agnes e a Sandra").
    Já vi que não nos devemos encontrar em Bremen, mas outras oportunidades surgirão. Tudo acontece no momento certo.
    :-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro que sim, e se fores à ilha diz qualquer coisa ;)

      Eliminar