segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

It's booked

Depois da Guerra Fria que se tinha instalado nos meus planos de viagem (Rússia vs Estados Unidos), a vontade de voltar a NYC na primavera (ok, quase no verão) e com uma máquina fotográfica decente ganhou (e alguém falou em compras? ah pois, that too). Tinha pensado fazer um super combo e ir de NYC a Washington DC parando em Philadelphia mas achei que com uma viagem de 9 dias devia ser realista - há demasiado para rever em NYC (já falei em compras?) e tantos sítios onde ser geek em DC (Smithsonian, aqui vou eu!) que, com muita pena minha, acho que vou eliminar Philadelphia da lista (adeus Liberty Bell e Independence Hall). 
Aproveitei um desconto excelente nos bilhetes da United (e ainda vão a tempo de marcar com a KLM ou Air France, tudo com promoções) e em Junho lá vou concretizar o primeiro objectivo de 2016! Estava um bocado nervosa antes de clicar em "purchase" porque Junho vai ser um mês um bocado caótico e imprevisível na minha vida mas caramba, haja prioridades nesta vida! Agora só falta mesmo marcar os hotéis (já escolhidos, pois claro) e o transporte NYC-Washington (ainda estou a reflectir no eterno dilema comboio vs autocarro - se tiverem sugestões, digam-me!).

Pronto, e agora vou ali meter nojo para outro lado.



sábado, 27 de fevereiro de 2016

Sou uma avó

Hoje fui lanchar à pastelaria mais famosa cá da terra. Chama-se Café Knigge e é um sítio óptimo para repor os níveis de açúcar já que é famoso pelas suas generosas fatias de bolo (de todos os sabores e feitios!).


Ficámos na zona que se parece com uma sala de estar de uma casa a sério, com estantes e livros (que adoro!) mas existem mais "salas" que vão desde um café normal a uma espécie de sala de chá. Vou certamente voltar mais vezes!
Ainda me convidaram para jantar mas sinceramente o que me apetece é ficar em casa - onde mora o meu chá e as minhas pantufas e as minhas séries. As minhas semanas são tão longas e cansativas que me sabe pela vida ter estas horas só para mim, sem socializar com ninguém. Sim, sou uma avó.

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Tradições regionais

Existe na zona de Bremen uma tradição muito particular: a Kohlfahrt ou, como se diria em português, a "volta da couve" (ahah). Ocorre em Janeiro/Fevereiro e consiste em juntar os amigos e um carrinho de mão cheio de comida (ou melhor... bebida) enquanto se passeia pela cidade. Os grupos que tenho visto têm sempre ao pescoço qualquer coisa que os identifica como membros daquela Kohlfahrt e cada paragem tem direito a mais um copo e talvez alguns jogos para passar o tempo. Há até carrinhos de mão para alugar com uma luz a piscar, qual carro de bombeiros, toda uma parafernália, ah pois!
O destino, esse, é um restaurante que sirva Kohl und Pinkel (couve e um tipo de salsicha) e as comemorações continuam pela noite dentro. (Se alguma vez forem convidados para uma Kohlfahrt contem com metade de um dia!).
Infelizmente não consegui tirar fotografias aos grupos com que me cruzei pela cidade (porque seria um bocado estranho) mas encontrei algumas na internet:



Tenho amigos que fizeram algumas em Kohlfahrt no trabalho mas eu ainda não fui convidada para nenhuma. Embora, confesso, a ideia de andar por aí a comer e beber ao frio não seja uma coisa que me atraia particularmente...

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Oh no, it's packing again! *

Sempre que acabo de fazer a minha mala de cabine minúscula sinto que mereço um prémio por conseguir que todos os líquidos caibam aqui:


Comprei esta bolsa (5 euros um trio de bolsas de plástico na Primark) por ser muito mais resistente do que os sacos de congelação que usava até há bem pouco tempo e já viajou várias vezes comigo de avião. É certo que é maior do que o saco ranhoso que dão nos aeroportos mas até agora só implicaram com ele num sítio (Stansted) e nem foi pelo tamanho, foi, segundo o senhor, por "ter zipper" (e depois fez questão de passar tudo para um minúsculo saco de plástico da segurança, porque faz toda a diferença - só que não). 
O limite dos líquidos e da UMA peça de mala de mão das low-cost (ou um trolley + uma mini carteira, para ser mais precisa) são as coisas que mais me aborrecem quando viajo. Isso e mal ter tempo de lavar a roupa de uma viagem para ir para a seguinte. First world problems, portanto.


* isto sou eu a cantarolar com o ritmo de "oh no, it's raining again..." - sim, acho que fritei de vez. Preciso de férias.

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Deve ser de propósito

No dia em que posso ir para casa mais cedo, com um céu lindo (a diferença que a luz faz no humor!) que me faz pensar que esta cidade até consegue ser bonita para além do seu centro pitoresco, chego a casa e tenho uma carta da imobiliária a dizer que preciso de pagar a renda. Isto estaria tudo certo não tivesse eu criado um débito directo para o efeito e esta não fosse a milésima carta que recebo desde que me mudei. "Ah, isto está errado" diz a senhora da agência. Pois, eu sei que sim, mas já deixavam de me mandar estas cartas e faziam o débito directo como deve ser, eu juro que os outros países também o conseguem fazer. Começo a ficar farta de socializar com as senhoras da imobiliária todos os meses. Para além de que não é agradável viver na incerteza se é desta que chego a casa e a minha chave não funciona mais...
Ai Alemanha, logo no dia em que achei que podia começar a gostar de ti...

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

"Bifes mal passados"

Emprestaram-me este livro com a explicação "tu que gostas de Inglaterra, toma lá" e acabei por só demorar 3 ou 4 viagens de tram a acabar de o ler.
Lembro-me que na altura que foi publicado a coisa deu alguma polémica porque lá estava um emigrante a dizer mal do seu país de acolhimento e ai-valha-nos-deus-como-é-que-ele-se-atreve. A verdade é algumas coisas estão bem apanhadas e têm piada e a outras não consegui achar graça nenhuma (mas daí a fazer um filme por causa disso, vai outro tanto).



No final, vem o disclaimer do autor: "a verdade contraditória e contorcida (reconheço-o) é que ao fim destes muitos dias acabo mesmo por gostar deste país, sei lá porquê". E é isso que me apetece dizer a quem me pergunta porque gosto daquela ilha.
Para ler com uma pitada de sal e a mente aberta para algumas piadas de gosto duvidoso.

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

domingo, 7 de fevereiro de 2016

Up in the air

Ultimamente tenho-me sentido como os personagens do filme Up in Air: sempre em viagem num aeroporto perto de si! E isto de viajar em trabalho cansa e dá-me muito menos hipótese de aproveitar as cidades do que eu pensava ser possível. A semana passada fui ao sul da Alemanha e a lista de sítios onde estive incluiu aeroportos, estações de comboio, tram/metro e hotéis em frente a aeroportos ou estações de comboios... Nem sequer consegui aproveitar os jantares para conhecer um dos restaurantes que me recomendaram, foi mesmo take away para comer no quarto. Deprimente.



segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016