terça-feira, 3 de novembro de 2015

A walk down memory lane


Na rua de São Marçal é sempre sábado e estamos no outono mesmo quando lá passo em pleno Junho. Não que faça sentido, até porque as aulas duravam todo o ano, mas ali sinto-me sempre em Setembro, com o cheiro a novo dos dossiers de plástico. É como se a rua de São Marçal conseguisse trazer o sabor das torradas da cafetaria, o rebuliço do início dos intervalos e a voz do senhor da entrada que perguntava sempre "tem cartão?".


Acho que foi por isso que escolhi este caminho até à praça das Flores, gosto destes passeios pela memória. O café no Copenhagen Coffee Lab, esse, não achei nada de especial, embora o espaço seja giríssimo.



Além disso, eu pude voltar a encontrar o André, a Ana, a Sara e a Inês, mesmo que tenha sido apenas no número 174 da memory lane que é a Rua de São Marçal.

3 comentários:

  1. Que registo tão giro e ternurento! Posso pedir mais? :-)
    Gosto de ler textos assim, com memórias e notas autobiográficas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada :) Se as memórias surgiram, com certeza que farei mais posts! Beijinhos

      Eliminar