segunda-feira, 28 de setembro de 2015

E com isto tudo, já só faltam 2 semanas


Outubro parecia-me um mês longínquo, mas eis que a viagem está quase aí. The final countdown, turururu tururututu!

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Emoções

Para quê submeter um paper com tempo quando se pode escrever tudo na manhã do último dia do prazo? O que vale é que é foi um "corta e cose" de um relatório que já tinha feito senão estava bem desgraçada.

terça-feira, 22 de setembro de 2015

De volta aos treinos


É certo que "casa" é sinónimo de bacalhau com natas, pão "verdadeiro", queijo, doce de abóbora e pudim da tia, mas também é verdade que o sol me dá vontade de calçar os ténis, sair e mexer o rabo, por isso talvez compense as calorias ingeridas. Espero eu.

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

As Midlands - roteiro turístico

As Midlands acabam por ficar em segundo plano nos roteiros turísticos na ilha, atrás de Londres, da incontornável Escócia, das fotos da praxe em Oxford e Cambridge, de Gales (com a Snowdonia), sendo que apenas o Peak District ou Stratford-upon-Avon têm direito a lugar de destaque.
Agora que me preparo para dizer adeus ao "Heart of England" (que não corresponde exactamente à totalidade das Midlands, mas fica aqui tão bem!), decidi apresentar esta região ao mundo ou, pelo menos, a quem me lê aqui no blog.
Na verdade, quando se diz "Midlands" só se está a considerar as "West Midlands" mas neste post está tudo incluído, que a Este também há coisas giras. É verdade que Oxfordshire é um sítio mais bonito (ou se calhar sou eu que sou pouco imparcial...) mas as Midlands não são só a zona industrial do país (recebendo, por isso, vários expats), na verdade, existem por aqui importantes marcos da cultura britânica, como as casas de Shakespeare, o Castelo de Warwick e, como não podia deixar de ser, o local de origem da revolução industrial. Aqui fica então a minha lista de potenciais sítios a visitar. 

Stratford-upon-Avon
É a terra natal de Shakespeare e é talvez a cidade (vila?) mais turística de toda a região. Vê-se bem num dia mas recomendo os meses de verão ou primavera para aproveitarem melhor as muitas oportunidades "fotográficas". Fiz um post em mais detalhe aqui, se quiserem mais informações.


Warwick
Um dos castelos mais populares e imponentes por estes lados e que vale muito a pena conhecer! Recomendo que comprem os bilhetes online para terem desconto. Eu ia escrever mais mas acho que deixo só a imagem falar por si.


Kenilworth
É uma pequena vila entre Coventry e Warwick onde a atracção principal são as ruínas do castelo, onde se realiza o melhor Bonfire da região (opinião totalmente científica, claro!). A vila é um óptimo exemplo do verdadeiro campo inglês e é considerada uma zona mais "posh" para viver. Apesar de ser um sítio pequeno, tem bastante oferta a nível de pubs e restaurantes (recomendo o Tha Kitchen, com comida tailandesa) e parques enormes onde fazer piquenique (been there, done that!).


Coventry
Como centro industrial que era, a cidade foi quase toda destruída na Segunda Guerra Mundial e ainda hoje é possível ver as cicatrizes desse período na construção descaracterizada e algo cinzenta de muitos edifícios que foram aparecendo. Recentemente, a cidade tem sofrido diversas iniciativas de reabilitação e o centro histórico é um sítio bastante agradável para um passeio. As ruínas da catedral (destruída no Blitz de 1940) continuam iguais à fotografia que as imortalizou e são um ponto de visita obrigatório (o acesso é gratuito) que me faz sempre sentir dentro de um livro de História.
Recomendo o restaurante Playwrights junto às ruínas da catedral, com hamburgers, saladas, jacket potatoes e pratos do dia, que vão desde quiches a massa. Fora do centro, gosto do Millsy's (com comida italiana e mediterrânica) e do Royal Bengal (comida indiana).




Birmingham
É a segunda maior cidade a seguir a Londres e é onde a maior parte das grandes lojas (como o Selfridges) tem a sua segunda localização em Inglaterra. Birmingham tem alguma "má fama" (se eu tivesse 1 libra por cada sítio com má fama nesta ilha...) porque é uma cidade com imensa imigração árabe, paquistanesa e indiana mas nunca percebi por que raio há tanta gente a dizer mal. O centro da cidade é agradável, tem bons restaurantes e super fácil acesso. A melhor altura para visitar talvez seja no Natal quando existe um mercado enorme ao jeito alemão/austríaco (fiz um post sobre isso aqui).
Para além das compras em si, o Selfridges é seguramente o edifício mais famoso da cidade. No piso 1 tem um food hall onde costumo ir ao Rossopomodoro mas a oferta na cidade é imensa!


Fora do centro, há o Cadbury World, recomendado aos fãs do chocolate e a quem viaje com miúdos pequenos (ou não tão pequenos assim...).

Peak District
Como o próprio nome indica, é uma zona de montanha e recomendo alugarem um carro se quiserem passear por lá e ver todas as vilas e mercados. É um sítio lindíssimo, muito ao estilo de "campo inglês" onde é possível encontrar pubs típicos perdidos na serra e fazer caminhadas nas montanhas (nunca experimentei, mas consta que é popular). É local de passeio aos fins de semana, uma espécie de "vá para fora cá dentro" por isso contem com alguma confusão (e trânsito).
Recomendo o pub Monsal Head porque é a coisa mais pitoresca onde já estive! É um pub que fica num antigo estábulo com lareira (e pelo que vi na internet também tem um hotel na casa ao lado), giríssimo!



Nottingham
Duas palavras: Robin Hood! Podem tirar a foto da praxe junto à estátua, visitar o castelo e conhecer em primeira mão a história do Robin Hood e do xerife de Nottingham. Existem Town Tours mas nunca experimentei, acho que a cidade é tão pequena que se vê bem sem precisar de um guia. Em termos de restaurantes, recomendo o Annies Burger Shack, um restaurante de hamburguers originais (há hamburguer com manteiga de amendoim e doce, just saying!). Ao jantar pode ser complicado arranjar mesa sem marcação, especialmente ao fim de semana, mas parece que ao almoço é relativamente pacífico.


E pronto, é este o meu "Midlands Express" para principiantes!

quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Nearly time to go


Obrigada, Easyjet, gosto sempre que me lembres das viagens que estão quase aí.

domingo, 13 de setembro de 2015

O meu lado holandês

Não gosto nada quando me dizem "vou experimentar agora aquele brunch, queres vir?" ou se iniciam mensagens em cadeia para "irmos ao pub daqui a 1 hora". Sou muito holandesa nesse aspecto e, salvo muito raras excepções, gosto de saber quais os planos para cada dia, com antecedência. Descobri que tenho também um lado inglês que se manifesta no (quase) pânico de abrir a porta a pessoas que não se fizeram anunciar previamente e que vieram socializar sem eu me ter preparado psicologicamente. É possível que haja aqui algum distúrbio qualquer, que eu sou muito pouco portuguesa nestas coisas. Ou então sou só esquisita, também pode ser isso.

sábado, 12 de setembro de 2015

Londres visto da Lua

Perguntaram-me sítios onde comer em Londres e eu lembrei-me que isto era um bom tema para um post (mesmo que eu tenha tipo 3 leitores, isto é tudo pessoal 5 estrelas e vocês merecem, ok?). Fica a ressalva, no entanto, que eu não sou expert de Londres, nem moro na cidade, nem passo a vida a visitar os novos restaurantes e tal e coiso. Para além disso, ou acabo por ir sempre aos mesmos 2 sítios (e, em geral, a comer a mesma coisa...) ou então vou a restaurantes e nunca mais me lembro do nome deles (muito, muito comum). Sou, portanto a pessoa ideal para perguntar estas coisas (not). Mas fica aqui a promessa de que isto vai mudar no futuro até porque, confesso, ganhei o gosto de experimentar novos sítios e tirar 500 mil fotos. Estou, portanto, uma hipster. Vamos lá!

Balthazar
Bem no coração de Covent Garden, temos o Balthazar, "irmão" do famoso Balthazar de NYC. Não se já comi uma refeição "normal" por lá mas experimentei o brunch e adorei! Panquecas, ovos, croissants, é tudo óptimo! Costuma estar sempre cheio (sempre que lá vou, pelo menos), mas se esperarem um bocadinho costumam ter lugar ao balcão, o que serve perfeitamente. Ah, têm ainda uma padaria espectacular mesmo ao lado onde vendem pão, bolos e tudo o resto que faz mal mas sabe bem. Informações sobre menus, localização, etc, está tudo no site.

Maroush
Para mim, o melhor libanês de sempre (ok, nunca fui a outro, mas isso é porque "em que equipa que ganha não se mexe"). A carne é o principal selling point do restaurante, é sempre óptima, super tenra!
Há vários restaurantes na cidade mas eu só conheço o de Beauchamp Place, entre o Harrods e South Kensington, não sei se são todos iguais, em termos de menu e preços. O de Beauchamp Place tem uma espécie de um café/snack no rés-do-chão (que eu nunca experimentei) e o restaurante no primeiro andar. Não se deixem intimidar pelo aspecto "Kensingtoniano/milionários árabes", é na boa. Aqui está o site, podem ver melhor os menus, localização e até marcar mesa online.

Polpo
Como o Maroush, o Polpo tem vários restaurantes em Londres mas eu só conheço o de Covent Garden (entre a Piazza e a Strand). É um restaurante de tapas com comida italiana (mas que não é só pasta, atenção) onde recomendo sobretudo as almôndegas de grão (mas é tudo bom!). Ah, e o tiramisu, muito importante. Mais uma vez, menus, localização, etc, estão no site.

The Blakfriar
Eu não costumo ir a pubs na capital, até porque é o género de restaurante que acaba por haver mais noutras partes do país. Contudo, turista que é turista quer ir a um pub em Londres e eu lembrei-me de sugerir este porque foi construído num antigo mosteiro e é super original, assim que se forem para os lados de St Paul's, fica a sugestão e o site.

I love Nata
Descobri recentemente e já sou fã. São pastéis de nata e café delta, acho que não há nada mais a dizer. Se calhar quem vem em turismo não se interessa muito, mas acho que é um tema que toca no coração de todos os expats! Também em Covent Garden, mas do lado norte (61 Endell Street).

Mercados
Borough market e Camden têm mil e uma barraquinhas onde comer, que são uma óptima opção para quem quer turistar sem perder o tempo que se gasta num restaurante, mais outra dica que deixo aqui.


E pronto, é isto. Nas vezes em que vou a Londres em trabalho eu acabo mesmo é por ir ao Pret a Manger e comprar a minha sandes de caranguejo e sumo de gengibre, o que no fundo é a coisa mais britânica que podem fazer (ahah). Dúvidas, sugestões e tudo o mais, é só dizerem. Isto agora deu-me uma vontade imensa de experimentar a muito longa lista de sítios onde quero ir em Londres. Stay tuned, que pode ser que me habitue a isto das reviews.

sexta-feira, 11 de setembro de 2015

That Friday feeling

Há músicas que me transportam imediatamente para um determinado período da minha vida sem eu perceber bem porquê. Esta é a música deste ano e quero tê-la aqui para não me esquecer. Isso, e para me tele-transportar sempre que quiser para as Midlands.


mais uma página

Chega hoje ao fim um ciclo que passou mais depressa do que alguma vez achei possível. Estou contente por ter embarcado neste desafio, por ter achado que "agora" é sempre o melhor momento, porque é. Vem aí um novo ciclo, que curiosamente encaixa perfeitamente neste que agora termina como se tivesse sido tudo planeado e estivesse tudo previsto. Mais um bocadinho e começo a acreditar na filosofia da Andorinha que tudo o que nos pertence está guardado para nós (vês, estou quase a aprender!). E agora, fim da lamechice e vamos mas é comer bolo.

quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Um bocadinho de "casa" na ilha

Esta é talvez a pior foto de sempre (não que este blog vos habitue a grande qualidade fotográfica cofcof) mas comer bacalhau à Brás em pleno centro de Londres tem direito a aparecer aqui. Se foi o melhor bacalhau que já comi? Claro que não (até porque o da minha tia continua a ser o melhor do mundo) mas, caramba, se não me soube mesmo bem! O restaurante chama-se Canela e fica em Covent Garden. Provei ainda os croquetes (eu adoro croquetes e, não me lixem, ninguém os faz tão bem como nós!) mas infelizmente (ou não) comi-os antes de os fotografar. E havia pudim flan. E bifanas. E tudo e tudo! E eu parecia uma criança com tanta emoção!


Antes disto já tinha despachado uns pastéis de nata ali perto, no I love Nata, também em Covent Garden. E como se os pastéis não chegassem, ainda tem café Delta (o meu preferido), o que me deu uma alegria especial. Vão, que eles são 5 estrelas!


domingo, 6 de setembro de 2015

In awe


Uma palavra: UAU. Assim mesmo, com maiúsculas. Que musical espectacular! As minhas expectativas eram elevadas e mesmo assim saí de lá em êxtase! Um cast onde todos e não apenas os "principais" são extraordinários e que contou com performances brutais, sobretudo a Stars, cantada pelo Jeremy Secomb (o meu preferido) e a Bring him home do Peter Lockyer. Adorei ainda a Do you hear the people sing e que não acredito que não arrepie quem a ouve (ou talvez seja só a veia revolucionária que me calhou na lotaria genética). Infelizmente não encontro muitas gravações do cast actual, mas fica aqui a melhor que encontrei no youtube, com o Peter Lockyer (que faz de Jean Valjean). Recomendo mesmo este espectáculo, e sobretudo este cast, que maravilha!


EDIT: Ok, deixo aqui também a Do you hear the people sing, numa versão de aniversário, porque é épica.