segunda-feira, 6 de abril de 2015

Páscoa em Budapeste

Acho que tenho um problema: toda a Europa começa a parecer-se-me um grande e único país, especialmente ali ao centro. Tinham-me dito tão bem de Budapeste que eu esperava uma cidade linda, qualquer coisa entre a cidade encantada e o cenário de um filme, mas afinal é um bocadinho mais do mesmo. É uma mistura de Praga com Berlim, e mais uma cidade desse país que é a Europa Central. Sim, é um destino engraçado, excelente para passar um fim de semana prolongado, que se faz muito bem a pé e onde se tiram boas fotografias, mas não me trouxe o "uau" de que estava à espera. Tem recantos lindos e zonas decadentes logo a seguir, nota-se a herança gloriosa do império Austro-Húngaro, mas achei que as cicatrizes das guerras ainda se fazem sentir. Tem o seu encanto junto ao rio mas o charme de Lisboa põe a cidade a um canto (aliás, tenho chegado à conclusão que quanto mais viajo mais gosto da minha cidade). Desculpa, Budapeste, it's not you, it's me.


Recomendo vivamente a visita ao Parlamento e sugiro que comprem os bilhetes online para evitarem as filas (comprando online, é só imprimir, nem sequer é preciso ir levantá-los na bilheteira). O edifício é lindo por fora e por dentro, e apesar de a visita ser relativamente curta vale imenso a pena!




A Igreja de Santo Estêvão é linda. A entrada não é paga, mas é sugerida uma doação para entrar.





A icónica Chain Bridge, paragem (e travessia!) obrigatória.



O Bastião do Pescador é pago se quiserem percorrer a muralha completa. Nós pagámos no espírito de "não voltamos cá, why not?" mas se quiserem evitar essa despesa extra podem ir um bocadinho mais à frente para uma vista semelhante.

 



Gostei ainda de visitar o Mercado e deu um excelente abrigo para a chuva/neve com que Budapeste me brindou no primeiro dia!




Junto à Praça dos Heróis encontrámos um mercado com comida e produtos tradicionais, cheio de turistas e locais e que contrastava com o sossego das ruas no Domingo de Páscoa.




Umas últimas notas para dizer que

a) cidade se faz bem a pé e não fiquei propriamente no centro (estava junto à Casa do Terror, antigo edifício das SS), pelo que acreditem que o uso de transportes públicos é perfeitamente dispensável.

b) recomendo o Café Pierrot, no bairro do Castelo. Comida excelente e empregados super simpáticos, se quiserem descansar do turismo e comer num ambiente sossegado, fica a dica!


Agora é tempo de planear a próxima viagem!

12 comentários:

  1. As expectativas são um problema. Ouvi mal de Budapeste antes de ir, se calhar também por isso gostei bastante! :)

    ResponderEliminar
  2. Exacto, as expectativas são mesmo um problema! Não é que não tenha gostado da cidade, que gostei, mas esperava muito mais e ficou a sensação de "saber a pouco" e não trazer propriamente nada de novo.

    ResponderEliminar
  3. Eu tenho viajado bastante pelo centro da Europa, porque os meus pais moram por lá. (:
    Ainda acho que não vi o suficiente para ter essa opinião. Acho sempre que cada lugar tem o seu encanto.
    Mas uma coisa é certa, nunca vi uma praça tão imponente como o terreiro do Paço.

    ResponderEliminar
  4. Deveria até fazer mais postes deste género, o que achas?!

    ResponderEliminar
  5. Joana, eu também encontrei encanto em Budapeste, eu cá gosto sempre de viajar, mas começa a parecer-me tudo muito parecido e as expectativas não ajudam. Acho que era uma óptima fazeres posts das tuas viagens, quero saber as tuas dicas :)

    ResponderEliminar
  6. Mas concordo que viajar na Europa me faz achar que vivemos cada vez mais num grande país, apesar de ser sempre bom viajar neste nosso país. Talvez por isso uma das coisas que me fascina mais nas viagens são as culturas diferentes, e as viagens que fiz pelos países árabes e pela Ásia foram os mais marcantes. Aquilo sim é mergulhar num mundo novo.

    ResponderEliminar
  7. As pessoas ficam mto chocadas (pq me julgam snob) qdo digo que tenho tempo pra ver a Europa do Leste, e é pq tal como tu, já vi tanto da Europa central, que estou a preferir ver o resto pra depois retornar à Europa.
    Tenho vontade de fazer Montenegro e Sérvia, mas fora isso.... hum... mais depressa faço os nórdicos que vou a budapeste depois de Praga, Berlim, Austria e Alemanha a pontapé.
    Não me estou a queixar da minha sorte, mas já não me cai o queixo como me caiu no irão :)

    ResponderEliminar
  8. As pessoas ficam mto chocadas (pq me julgam snob) qdo digo que tenho tempo pra ver a Europa do Leste, e é pq tal como tu, já vi tanto da Europa central, que estou a preferir ver o resto pra depois retornar à Europa.
    Tenho vontade de fazer Montenegro e Sérvia, mas fora isso.... hum... mais depressa faço os nórdicos que vou a budapeste depois de Praga, Berlim, Austria e Alemanha a pontapé.
    Não me estou a queixar da minha sorte, mas já não me cai o queixo como me caiu no irão :)

    ResponderEliminar
  9. É mesmo isso! Eu do Montenegro conheço um bocadinho mas a Sérvia também anda na minha lista, parece-me o mais diferente (mas posso estar enganada).

    ResponderEliminar
  10. Eu sei que estás centrada na Europa pq os bilhetes são mais baratos por cá, mas está na hora de começares a deixar de fazer cidades e passares a fazer outro tipo de viagens, pelo menos uma vez por ano.

    ResponderEliminar
  11. É o meu plano, sim (já tenho uma lista interminável, óbvio). Mas primeiro é preciso ter fundos ;) Até lá têm de ser estas mini viagens dentro do continente, ou o "vá para fora cá dentro" na ilha.

    ResponderEliminar