sábado, 17 de janeiro de 2015

Às compras na capital do reino

Sempre que vejo por esta internet fora toda uma paixão pelas lojas na Oxford Street em Londres não posso deixar de sentir uma total falta de afinidade, quase a roçar o "mas isso é tão turístico" dos meus amigos londrinos (eu sei, I'm not proud). Não aguento as lojas cheias de gente, onde não se consegue ver nada com calma porque, lá está, estão a abarrotar de pessoas. Faz-me confusão a dimensão excessiva das lojas e o meu cérebro fica incapaz de processar toda a informação, o que mostra bem a minha incapacidade de sobreviver à gigantesca Topshop pela qual meio mundo suspira. A verdade verdadinha é que me rendi a Chelsea, com lojas pequenas e atendimento personalizado. Isto soa a uma coisa muito snob da minha parte mas não é por ser chique, até porque eu sou tudo menos Agnes Middleton ou filha de um qualquer milionário árabe ou russo, é porque adoro o sossego. Gosto do sentimento de "bairro", de lojas arrumadas e sem encontrões, gosto de estar longe da euforia de Oxford Street e do vedetismo de Notting Hill (um sítio que também adoro, atenção!). Tolero Regent's Street, mas é porque tem lá várias lojas que me aquecem o coração (e sim, são aquelas especificamente, mesmo que existam noutros pontos da cidade, sou uma criatura de hábitos...). Fosse eu Agnes Middleton e também gostaria da New Bond Street, mas assim fico-me só pela experiência antropológica que é ir à Victoria's Secret, o que dava todo um novo post.

Sem comentários:

Enviar um comentário