domingo, 29 de junho de 2014

Praga, finalmente

Depois de meio mundo já ter visitado foi a minha vez de ir até Praga, e gostei imenso! Apanhei um tempo óptimo, o que ajudou, e como fui durante a semana não apanhei a quantidade de turistas que temia (e da qual vi uma amostra assustadora no sábado!).
Para os interessados, e porque tirei imensas dicas de blogs por essa internet fora, vou fingir que alguém lê este cantinho e incluir algumas sugestões.

Quantos dias?
Se não entrarem em nenhum museu e coisas do género, um fim de semana dá para ver tudo na boa, sem ser preciso recorrer a transportes, visto que o centro da cidade é relativamente pequeno e se faz bem a pé (mas levem sapatos confortáveis para as subidas e a calçada!). Se quiserem visitar monumentos talvez seja melhor planear um bocado a viagem, também por causa do horário de funcionamento, e optar por transportes públicos de forma a agilizar os percursos.

O que visitar?
O óbvio relógio astronómico e assistir à procissão dos apóstolos a cada hora (preparem-se para a enorme multidão que espera o funcionamento do relógio!) e toda a zona da Old Town, super cute. Para os geeks, a igreja de Our Lady before Týn é onde está sepultado o astrónomo Tycho Brahe (Agnes deu pulinhos controlados, porque não se fica feliz ao pé de uma sepultura não é?). Percorrer a Charles Bridge e subir ao castelo é um must, e aí estão, entre outros, o palácio real, a Catedral de St Vitus, Loreto Palace e o Strahov Monastery. Não achei que valesse a pena o circuito B do castelo (palácio, basílica de São Jorge e catedral), talvez os outros palácios e mosteiros sejam mais interessantes mas acabei por não entrar. O Bairro Judeu é, para mim, a zona mais gira da cidade (e se quiserem abrir os cordões à bolsa podem ir à Louis Vuitton, Cartier e lojas de bairro do género). Não visitei museus mas o cemitério judeu e a sinagoga espanhola devem ser giros. Fiz ainda um passeio de barco e recomendo porque tem uma vista super gira da cidade e dá para tirar óptimas fotos! Podem ainda fazer uma tour grátis de Praga, que passa pelos principais pontos turísticos da cidade (eu não fiz mas li boas reviews na internet).

Comida
O único restaurante checo onde comi foi o U Tri Rutzi, barato e típico, uma boa sugestão para uma pausa no sightseeing. Gostei do Café Imperial e do Café Paris (dentro do Hotel Paris, não fui ao outro), não são propriamente os sítios mais baratos da cidade (imagino que não sejam os mais caros também, ahah) mas a comida é boa e o Café Imperial vale a visita, nem que seja para um café e um bolo porque o espaço é giríssimo (e os empregados são simpáticos, o que em Praga não é fácil de encontrar)! Para um pequeno-almoço tardio ou lanche gostei do Au Gourmand (e também dá para almoço, vi por lá quiches com óptimo aspecto).

Compras
Não comprei grandes souvenirs tirando os habituais postais e o íman para o frigorífico (há magnets giríssimos!). Há imensas coisas de cristal da Bohemia e comprei um presépio para oferecer a uma amiga que os colecciona (mas não foi fácil encontrá-lo, talvez por causa da altura do ano).


Agora que já falei imenso, vamos às fotos (só uma amostra das muitas que tirei nesta viagem, nem sei como escolher!).









2 comentários:

  1. Ainda bem que gostaste da viagem. Também estou acabadinha de chegar da Madeira. Aiii, viajar é tããão bom!

    ResponderEliminar
  2. Pois é :) Eu devia arranjar um emprego que me fizesse viajar e escrever crónicas acerca da viagem, isso sim :P

    ResponderEliminar