quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Nova vida

Não só passei a usar fato e sapatos todos pipis como deixei de ter tempo para me coçar. Para começar, demoro imenso tempo em commute time (dei-me conta que agora falo muito mais à camone, juro que é só mesmo falta de serviço de tradução mental e não armar-me aos cucos), sobretudo por morar bastante perto mas perder uma quantidade ridícula de tempo em transportes, especialmente se não apanhar à hora X ou Y. Mas onde ia? Ah, em não ter tempo. Chego a casa e ainda tenho de tratar de coisinhas que não matam mas moem, como lavar a loiça à mão ou tratar das utilities e responder a cartas oficiais que teimam em aparecer cá em casa (a sério, caros senhores da água, luz, national insurance, council tax...etc etc... já chega). E depois é manter as pessoas actualizadas, como vai o trabalho e a vida, que não queremos que daqui a 1 mês ninguém se lembre sequer como me chamo. E comer, dizem que dá jeito. E passar a roupa. E tentar manter-me a par de alguns projectos que sigo a partir de casa. Quem é que se lembra que é Natal e há um blog? Uff. Como eu gostava de ser como aquelas bloggers que têm muito que fazer mas ainda mantêm um blog fofinho e arranjado, com imensas coisas interessantes. Por essas é por outras é que não ganho a vida assim (mas s ecalhar devia, que é capaz de ser menos stressante!)

Sem comentários:

Enviar um comentário