terça-feira, 29 de outubro de 2013

007 Missão casa

Pois que dei início a uma application para alugar uma casa em Inglaterra, para a qual tive de preencher um formulário com informação acerca de mim, do meu emprego e do meu senhorio. Ah e tal, é um background check. Sinto-me a ser observada. Já não bastava o Obama ler os meus emails ainda vou ter uma empresa a verificar se vou trabalhar mesmo onde digo que vou trabalhar e se por acaso não sou mas é uma jogadora compulsiva que estoira o dinheiro no casino em vez de pagar a renda. Ou se estou na lista de indesejados do Cameron, que é capaz de lhe dar para aí.

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Saudades *

Apetece-me uma bica e um pastel de nata. Não precisa de ser de Belém, serve-me um do Sr.Martins da pastelaria de sempre. Apetece-me deambular no Chiado. Apetece-me uma pizza à beira-rio. Um sumo à beira-rio. Um passeio em Belém. Apetece-me ir às compras com a minha mãe ao Colombo (mesmo que isso seja muito pouco chique). Apetece-me sentar no sofá de casa e ver as notícias em português. Comer pão! Pão a sério! Com manteiga a sério! (perdoem-me o entusiasmo) Apetecem-me os abraços do regresso.Apetece-me Lisboa. 3 weeks to go. Estou quase no meu lugar à janela do voo da TAP.


*Quanto menos falta, mais ansiosa estou. Quase como uma criança na véspera de Natal.

domingo, 27 de outubro de 2013

Nada como não ter sono quando a hora atrasa

Acordei às 6h da manhã! (ou às 7h, pela hora de ontem) Aposto que amanhã vou resmungar quando o despertador tocar às 7h...

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Ai agora?

Agora que me vou embora é que abriu um ginásio mesmo ao pé de casa, com pilates e zumba e o camandro. Acho que isto é um sinal do universo que o desporto não é para mim....Hmm.

sábado, 19 de outubro de 2013

Haja prioridades

Para quê fazer uma lista de bens essencias quando há coisas tão melhores para comprar?





(tudo do IKEA, onde devo gastar uma quantidade ridícula de dinheiro no próximo mês - e sem trazer as coisas "giras", bah.)

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

It is the final countdown

Se estas próximas 4 semanas chegam ao fim eu não acredito que é verdade. Tenho uma to do list daqui até à China (trabalho, casa, mudanças, caixas, pesos e medidas), ando numa pilha de nervos enorme, durmo mal, não descanso e já mudei totalmente o chip pelo que não me apetece continuar aqui. Quero virar a página, partir para outra. Não, definitivamente a paciência é uma coisa que não me assiste para este tipo de coisas...4 semanas parecem-me a eternidade.

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Está visto

Se a minha carreira não resultar vou abrir uma agência imobiliária. UM dia é quanto tempo leva a alugar todo e qual sítio pelo qual eu manifesto interesse. Bolas, pá. Acho que a hipótese da tenda está cada vez mais próxima.

domingo, 13 de outubro de 2013

sábado, 12 de outubro de 2013

As mudanças

Então, Agnes, como vão as mudanças? Não vão. Casa, está de chuva (acho que vou mas é montar uma tenda ao lado do trabalho e está resolvido), as coisas estão semi empacotadas mas só daqui a umas semanas é que vou fazer o teste definitivo (ou seja, ver se sobra alguma coisa fora das caixas das mudanças), e os últimos relatórios para entregar ao meu chefe estão a consumir-me o bom humor. Isso e o próximo emprego implicar trabalhar até ao último minuto antes do Natal, isto vai ser chegar e sentar-me à mesa da consoada. Estou a começar a ficar stressada enquanto não fechar pelo menos uma destas pontas soltas. Argh.

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

A Primark

Já toda a gente botou faladura e eu lembrei-me de divagar sobre o tema. Para dizer que não percebo quem ama e quem detesta. Desconfio de quem diz "ai eu adoro os sapatos da Primark" (aquilo é demasiado plástico para adorar seja o que for) mas irritam-me bastante aqueles que são completamente anti, "ai que horror, eu só o cheiro, nem consigo entrar" e cenas. Eu cá confesso que já fiz grandes compras na Primark. Tenho 2 casacos que adoro e que têm bastante qualidade para as 30 libras que custaram (isto não é cá armar-me aos emigrantes, mas eu só costumo comprar no país da Kate), nada de tecidos manhosos e plastificados, um espectáculo. Carteiras, não consigo. Já aqui disse que me tornei na minha mãe e já só consigo comprar malas de pele, uma chiqueza, portanto. Sempre que vou a Inglaterra faço questão de passar por lá porque me anima encontrar blusas giríssimas a 10 libras, e coisinhas para o cabelo e um sem fim de acessórios do género por um preço bem simpático para a carteira. Mas não significa que adore a loja. Nem que encontre sempre coisas boas (há tecidos que não consigo usar de todo). E odeio a confusão de algumas lojas, o facto de serem muito grandes também me desorienta e deixo de conseguir analisar a roupa (daí que compre coisas numa Primark refundida no campo inglês mas não tenha encontrado nada em plena cidade de Londres, sou muito pouco fashionista, eu). O que me faz confusão nestas discussões acerca da Primark é o fundamentalismo. Assumir que tudo o que vem da Primark, ou da H&M, ou desse tipo de lojas é de péssima qualidade e de ainda pior gosto. Há de tudo como na farmácia. A mim, interessam-me ver os tecidos, desde que passem o teste do "apalpamento" (para averiguar a qualidade do mesmo), não tenho problema em trazer coisas da loja. Pronto, era só isto.

terça-feira, 8 de outubro de 2013

Dói-me tudo

Estou fungosa, dói-me o corpo todo e só quero um chá e uma mantinha. Mas antes disso, tenho que despachar os verbos reflexivos e os trennbare (como é que isto se diz? uf.) dos trabalhos de casa de alemão. E devia passar umas camisas senão não tenho nada para levar amanhã para o trabalho. Ninguém merece.

sábado, 5 de outubro de 2013

Bilhete de ida

Ainda acho que o voo que acabei de comprar é um daqueles que me leva a mais umas férias que terão Schiphol como regresso. Acho que só no dia em que vir tudo empacotado e os armários vazios é que vou perceber que hoje comprei finalmente o meu bilhete de ida. Agora é aproveitar a última meia dúzia de semanas no país das túlipas.

terça-feira, 1 de outubro de 2013

Festas populares

Pois que o Santo António cá da terra (pelo menos em termos de dimensão de festa) assentou arraiais em força. Não tenho autocarro para casa porque a rua está cortada, portanto tenho de ir a pé pelo meio da roda gigante, montanha russa e outras atracções que estão a ser preparadas desde o fim de semana, é quase como atravessar um parque de diversões até à porta de casa. Felizmente não moro na rua da festa propriamente dita (embora amanhã vá ser interessante ouvir a música à noite), mas não me agrada esta corrida de obstáculos. Pela minha parte, mal posso esperar pela próxima semana.