quarta-feira, 31 de julho de 2013

As tias desta vida

Pois que primeiro foi a Pepa. A moça de sotaque afectado que queria uma mala Chanel e que foi crucificada em praça pública. Como já disse, não achei mal nenhum a rapariga querer uma mala. Seja fútil, seja o que for, era UM dos seus desejos, para este ano, para os próximos anos, não me interessa, o dinheiro é dela e, se pode, porque não? (um dos meus desejos também era viajar mais, peço desculpa se é uma coisa demasiado mundana, foi o que se pôde arranjar). Sim, a crise existe, bateu à porta de muita gente que conheço e ninguém sabe o que faço ou deixo de fazer para minimizar alguns dos seus efeitos, mas a hipocrisia que se instalou é coisa para me tirar do sério. Ninguém pode mostrar que ainda pode jantar fora (mesmo que seja só daquela vez, mas toda a gente vai reparar que se foi daquela vez), ir de férias a qualquer sítio ou comprar um vestido novo. Vejo isso nos blogues "devias ter vergonha de postar isso quando há muita gente que não pode", o que sinceramente não é argumento... Agora, a pérola de brincar aos pobrezinhos... Nem acho que seja de pessoas sem noção da realidade, acho que é mesmo falta de respeito. Por quem tem de trabalhar para viver e por quem tem de viver sem trabalhar. Como se tudo não passasse de uma brincadeira onde a qualquer hora podemos decidir trocar os papéis e pronto, assunto resolvido. Mas claro, se não fossem os pobrezinhos a quem é que se fazia caridadezinha no Natal para depois aparecer nas fotografias da Caras? Nojo, muito nojo.

terça-feira, 30 de julho de 2013

Bipolaridade

Este país é bipolar. Estamos a 30 de Julho e chove como se fosse Outubro. No final da semana dizem que vão estar 30 graus (só vendo, eu só vendo), mas vai ser acontecimento isolado, a acreditar nas previsões. Eu cá sempre disse que o inverno começa em Agosto, acham que estou a exagerar!

sábado, 27 de julho de 2013

Viver na Holanda é #4

Aprender a consultar o buienradar antes de sair de casa, mesmo a tempo de aproveitar as horas de sol que se seguiram ao maior dilúvio dos últimos tempos. Dilúvio esse que encharcou a minha housemate que assim que chegou comentou "ah mas não estava a chover quando eu saí de casa". Noobs. Eu fui ao mercado, dei a minha voltinha e regressei a casa a tempo do dilúvio número 2 que vai ocorrer agora à tarde...

sexta-feira, 26 de julho de 2013

Viver na Holanda é #3

A pessoa que se sentou à nossa frente pôr desodorizante no meio do autocarro. E daqueles em spray, que espalha o cheiro até à última fila. Ah, e também já tive a versão perfume, onde duas senhoras aí dos seus 50 e muitos anos desataram a pôr perfume no meio do comboio. Ainda não deixei de me surpreender com as coisas a que já assisti em transportes públicos.

segunda-feira, 22 de julho de 2013

Voltei

E está calor, demasiado calor! 30 graus por estes lados é a minha definição de inferno na Terra... O meu quarto e o meu escritório são duas saunas autênticas pelo que estou aqui desejosa que voltem os 20 graus porque eu quero dormir à noite. Ou uma casa com ar condicionado. Agradecida.

terça-feira, 16 de julho de 2013

É já amanhã

Vou a casa por quatro dias. E nestes quatro dias cabem os cozinhados lá de casa, as compras com a mãe, um casamento, amêijoas à beira-mar, as visitas que se impõem em cada regresso, as noites de verão em Lisboa, o expresso dos cafés do bairro, talvez até o jantar no meu restaurante de eleição. São poucos dias mas muitos planos. E por muito poucos que sejam, estes dias confortam-me a alma. Porque é tão bom chegar a casa.

segunda-feira, 15 de julho de 2013

Coisas que me apoquentam

Hoje a deambular pelo Facebook dei-me conta da quantidade de lojas que existem por lá. Não digo lojas normais que têm página no Facebook, digo aquelas lojas que já toda a viu (ó vá lá!) que vendem bijuteria, roupa, coisinhas de bebé, de tudo um pouco. E nunca está o preço euros, está sempre em estrelas, borboletas e outros eufemismos. Mas... e estas lojas passam factura? Não estou a criticar, é uma coisa que eu gostava mesmo de saber! Porque se não passam, não estaremos nós a fomentar a economia paralela? Isto lembra-me o apelo que circulou na internet o Natal passado e que dizia para comprarmos as prendas de Natal à vizinha que fazia ponto de cruz ou à amiga que tinha bolos, e, obviamente, não há nada de errado em promover o comércio tradicional mas fico sempre a pensar se comprar a particulares não é estar a contribuir para uma economia paralela, o que não é nada desejável... (ou se calhar estou a ser super fundamentalista).

domingo, 14 de julho de 2013

Momento féchion do dia

Ando à procura de uma carteira preta. Em linguagem féchionista, procuro uma tote, estão a ver? O meu problema é que gosto sempre daquelas carteiras de designer (Agnes é muito fina!), o que sai um bocado fora do orçamento. Ando apaixonada por uma Fendi, clássica, gira e invulgar, sem ser daquelas que todo o mundo tem (verdadeiras ou fake).

Infelizmente é coisa para 4 dígitos, o que é uma pena, realmente.
Assim sendo, ando a pensar em alternativas, como a do Michael Kors mas está-se a tornar uma espécie de praga. Não que eu tenha quaisquer pretenções de exclusividade, mas não gosto de andar género uniforme, já bastava o bibe aos quadradinhos verdes que tinha de usar no infantário (e que eu detestava).

Vou investigar as opções num aeroporto perto de mim (o meu novo shopping preferido).

sábado, 13 de julho de 2013

Sábado

O Sábado é o meu dia preferido da semana. Um dia inteirinho para preguiçar sem a pressão de ter de ir trabalhar no dia seguinte (por isso é que o Domingo me deprime mais, ahah). Dormi até mais tarde, limpei a casa, mudei lençóis, li blogs, planeei viagens (gosto de escolher os sítios que quero visitar, ler reviews de hotéis, informar-me acerca da cidade, call me crazy mas adoro pesquisar informação!) e agora vou sentar-me a ler um livro. E esta semana nem me vou importar com a segunda feira porque na quarta vou para casa! E mesmo que sejam só 4 dias vai saber mesmo bem!

segunda-feira, 8 de julho de 2013

Olha, afinal também há Verão

Agnes Maria iniciou a época da perna ao léu (mas com decência!), que é como quem diz, levei um vestido para o trabalho. Estava-se mais ou menos bem mas não em todo o lado, pois que obviamente que as duas reuniões que tive foram em salas com o ar condicionado no máximo e que me deixaram à beira da hipotermia. E depois o vento à saída do escritório, que era tanto que tive de segurar o vestido com uma mão e as compras e a carteira com outra, uma maravilha portanto. Acho que vão ser mais uns 2 ou 3 dias (e bem bom!!!) a usar saia e está feito o Verão. Assim como assim, em Agosto começa o Outono, não é verdade?

Every single time.

Não importa quantas vezes vá a Inglaterra, tenho sempre aquele pânico inicial à chegada em que penso "meu deus, estamos a andar em sentido contrário". O preocupante é que agora até no regresso à "Europa" estranho o sentido "contrário", mesmo que o "contrário" seja circular pela direita!

terça-feira, 2 de julho de 2013

Ai essa Geografia

Caros cidadãos britânicos, por que raio é que vocês dizem "vou à Europa" quando vêm a Amesterdão, ou a Paris, ou a Lisboa? Hein? Então e o Reino Unido é onde, na Ásia? Argh.