terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Adeus, 2013

Casa nova, emprego novo, país novo. Quando brindei à entrada do novo ano foi isto que pedi e, apesar de todos os (vários) downs, a verdade é que 2013 me trouxe (quase) tudo o que estava na lista. E claro, algumas viagens para recordar. E é por cada uma delas me fazer lembrar uma parte específica do ano que deixo aqui a lista das viagens com fotos do meu baú. E porque não deixa de ser incrível que Liverpool me pareça agora a toda uma eternidade de distância. 2014, bring it on.

 (Liverpool, UK)

 (Bruxelas, Bélgica)

(Bruges, Bélgica)

(Dublin, Irlanda)

 (Londres, mais uma vez, e... Harry Potter!)

 (Dubrovnik, Croácia)

 (Perast, Montenegro)

(Kotor, Montenegro)

(Berlim, Alemanha)

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Vou a caminho



Caros senhores dos comboios e da TAP, é favor não se atrasarem hoje, que tenho muita gente à espera de mim para o jantar e nunca cheguei a casa tão tarde na véspera de Natal.

domingo, 22 de dezembro de 2013

És um fixe, São Pedro

Acordo de manhã, suuuuuper sol, e penso "boa, vou comprar as prendas que me faltam". Saio de casa e começa a chover como se não houvesse amanhã. Volto para casa. 10 minutos depois está outra vez um sol radioso, e continua! Vou encarar isto como um sinal divino de que devo fazer as compras como bom tuga, no aeroporto, mesmo mesmo antes de embarcar. Não há-de ser nada.

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

All I want for Christmas

Já quase toda a gente foi para casa. Tenho evitado ler o Facebook e prestar atenção aos "de férias" que vão surgindo em todas as línguas porque este ano vou trabalhar dia 24 e só dia 24 à tarde vou voar para casa. Por isso estou aqui a rezar para que o tempo esteja bom, que as greves não afectem os voos e que tudo esteja alinhado para que eu possa estar em casa à hora do jantar (literalmente). That's all I want for Christmas. Eu e toda a população dos aeroportos britânicos, parece-me. Por isso, Pai Natal, acho que tens aqui uma oportunidade de agradar a bastantes pessoas!


quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

O drama quotidiano

Se há coisa que não gosto por aqui são os transportes públicos (Inglaterra infelizmente não é Londres, com metro e autocarros em cada esquina). A companhia de autocarros na qual viajo todos os dias para ir para o trabalho é péssima: os atrasos são constantes e o número de veículos por hora é ridiculamente baixo. Para terem uma ideia hoje estive desde as 7.40 às 8.25 sem nenhum autocarro para o meu destino passar por ali! E "ali" é a estação onde imensos commuters chegam (e vão) de Londres... Adiante. Dizia eu que esperei 45 maravilhosos minutos, enquanto 3 autocarros em cada direcção (menos a minha...) passavam, todos de companhias diferentes. No meio disto tudo, e já dentro do transporte para finalmente ir trabalhar, meto conversa com um rapaz acerca dos horários e das paragens e demos conta que éramos os 2 portugueses e até moramos perto um do outro. Ele há coincidências brutais!

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Agnes no país da Rainha #2

Domingo que é Domingo tem Sunday Roast num pub perto de si. E eu fui a um dos pubs cá da terra, típico mais típico não há (que morar no campo é mesmo assim).

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Nova vida

Não só passei a usar fato e sapatos todos pipis como deixei de ter tempo para me coçar. Para começar, demoro imenso tempo em commute time (dei-me conta que agora falo muito mais à camone, juro que é só mesmo falta de serviço de tradução mental e não armar-me aos cucos), sobretudo por morar bastante perto mas perder uma quantidade ridícula de tempo em transportes, especialmente se não apanhar à hora X ou Y. Mas onde ia? Ah, em não ter tempo. Chego a casa e ainda tenho de tratar de coisinhas que não matam mas moem, como lavar a loiça à mão ou tratar das utilities e responder a cartas oficiais que teimam em aparecer cá em casa (a sério, caros senhores da água, luz, national insurance, council tax...etc etc... já chega). E depois é manter as pessoas actualizadas, como vai o trabalho e a vida, que não queremos que daqui a 1 mês ninguém se lembre sequer como me chamo. E comer, dizem que dá jeito. E passar a roupa. E tentar manter-me a par de alguns projectos que sigo a partir de casa. Quem é que se lembra que é Natal e há um blog? Uff. Como eu gostava de ser como aquelas bloggers que têm muito que fazer mas ainda mantêm um blog fofinho e arranjado, com imensas coisas interessantes. Por essas é por outras é que não ganho a vida assim (mas s ecalhar devia, que é capaz de ser menos stressante!)

sábado, 7 de dezembro de 2013

"Ah que o Outono é tão lindo"

Pois, a não ser que morem no campo e tenham que andar a apanhar as folhas do jardim, resultado do vendaval dos últimos dias (ou corria o risco de ter um dique de folhas à porta de casa). Sou definitivamente uma pessoa da cidade. (Ou uma cliente em potência para um jardineiro!)

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Eu sabia que este dia ia chegar

Passei a trabalhar num sítio onde se anda (pelo menos) com calças de fato e onde as calças de ganga só entram, quanto muito, à sexta feira. É todo um mundo novo, longe do ambiente descontraído de escritório a que vinha habituada.

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

A questão da televisão

Não bastam já todas as burocracias, por cá existe a chamada TV Licensing, que consiste basicamente em pagar cerca de 140 libras por ano para poder acedar a programas que estejam a dar ao vivo (ou em simultâneo, no caso de filmes e séries) na televisão. Primeira carta que recebo em casa, depois do "paga mas é o council tax" e de outra a dizer "ah, afinal também podes votar, já que pagas o council tax", foi uma carta da TV Licensing a dizer que a minha casa não tem licença e que tenho de dizer qualquer coisa ou então vão investigar-me. Wow! Bem-vinda, Agnes! Ora bem...eu não quero TV License nenhuma! Eu tenho Netflix e ainda não vi metade do que há por lá, quero lá saber se não posso ver coisas em directo na televisão (ou no computador, ou no telemóvel....que isto da TV License é para todos os dispositivos, desde que se esteja a ver live tv). Por isso, hoje liguei para lá e disse "muito obrigada, mas não", e vai de me fazerem perguntas, se usava isto e aquilo, naquela entoação de quem está a ler um texto formatado para ser lido a qualquer alma que ligue para lá. Só vos digo, uma pessoa sente-se uma criminosa por estar a ligar e dizer que não vai pagar o raio da TV (que não vai usar!). Senti quase um "hmmmm, tu estás a ligar para cá mas na verdade vais desatar a ver a bola ou o telejornal da tua terra em directo, porque isso é mega genial" (permitam-me a liberdade criativa!). O que vale é que é mais uma coisa que está tratada.

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Burocracias

Mudar de país implica 500 mil papéis (ou páginas de internet, na versão moderna). Foi abrir conta no banco, tratar do telemóvel e da internet, mudar as utilities bills para meu nome, tratar do desconto para o council tax, marcar uma entrevista para ter o malfadado National Insurance Number (que só tinha vaga para daí a uma semana! uma semana! e vou ter de ir e mostrar que sou eu e explicar porque raio quero o NIN... e tudo isto em horário laboral que vou ter de compensar, pois claro, expectacular JobCentre, espectacular...), é ver seguros para a casa e perceber como raio funcionam os transportes e quais os passes que há por cá. É um maravilhoso mundo novo, com ordens de direct debit e standing orders e que espero acabar no máximo para a semana. Resta-me pensar que se mudar de casa pelo menos já só tenho de fazer o update da nova morada o que, hopefully, poderá ser feito online.

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Aqui em casa (também) já é Natal

Estou finalmente naquela que vai ser a minha casa durante pelo menos meio ano. E como quem tem amigos, tem tudo, fomos quatro em vez de dois a carregar caixas e montar móveis do IKEA. Gostava de dizer que já está tudo preparado mas ainda há coisas para arrumar (como??) e caixas de cartão infinitas que estou em dúvida se hei-de guardar ou se marimbo e deito mas é tudo fora. No meio disto tudo, quase me esquecia que é Natal. Quer dizer, não me esqueço, porque agora vivo num país onde tudo o que é loja de bairro tem mil e uma coisas alusivas à data (e coisas giríssimas!), mas agora que estou sozinha é como se fosse menos Natal, se é que isso faz algum sentido. No entanto, e como só vou embora dia 24 de Dezembro, achei que merecia uma árvore de Natal e para lembrar a primeira quadra natalícia passada numa casa só minha, comprei até uma bola a dizer Christmas 2013.


quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Não tenho paciência

O Natal aproxima-se e obviamente que já começou a panca das dietas, um mundo que, como acho que já disse aqui, me deixa não só perplexa como sem paciência para ler e ouvir tanto disparate. A quantidade de dinheiro que se deve fazer à conta desta histeria deve ser um absurdo. Faz-me lembrar a minha ex colega de casa, que come as maiores porcarias mas marcou uma consulta de nutrição num sítio xpto para perder peso (eu posso fazer-lhe essa consulta por um terço do preço que ela vai pagar, a sério, era só dizer-lhe para ela deixar de comer todas as porcarias pré-cozinhadas que compra e acabar com a molhanga com que cobre todos os pratos). Nestas coisas não há milagres, é uma questão de bom senso. Acho que viver privado de comer X ou Y deve ser uma não-vida - conheço umas quantas pessoas que vivem obcecadas com as calorias que a refeição tem (faço sempre questão de me sentar na ponta oposta da mesa, não gosto que me classifiquem o almoço) - mas isso não significa comer como se fôssemos uma família de 7 pessoas, nem comer todas as porcarias que encontramos. Dizem que fazer exercício também ajuda, dizem... E a genética, claro, não vamos fingir que não. Mas não engordam com o ar, ok? E saladas com base de massa e molho cocktail tiram um bocadinho o efeito de "mas eu comi só uma saladinha ao almoço". Por isso continuo a achar que em vez de sumos verdes e detox, se comêssemos de forma adequada ao que gastamos era uma ideia muito mais sensata. Mas muito menos apelativa, parece-me.

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Agnes no país da Rainha #1

Não só conduzem pelo lado errado (o que me faz olhar para o lado contrário quando atravesso a estrada), como medem o leite em pints.



*Sim, eu sei que há mais rainhas, mas A Rainha é sempre a inglesa, não é?

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Cheguei

Cheguei ao outro lado do canal. Podia assumir o espírito britânico e escrever que deixei a Europa, mas nesse caso seria tão má como eles a Geografia e a minha professora não merece isso. Tenho a vida em caixas e malas e esta semana vai servir para tratar das várias burocracias que ainda me faltam. E ir à IKEA, que já tenho a lista pronta, com os corredores da loja onde vou e tudo (um espectáculo!). Entretanto, por cá já é Natal, mas Natal a sério, com tudo super iluminado e montras mais do que alusivas à época (só por isso já me sinto em casa). Será tudo devidamente documentado neste blog, stay tuned

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Quando é que isto mudou tudo, que eu não me lembro?

É oficial, já não conheço a minha casa. Nunca encontro nada à primeira na cozinha, até dar com a tesoura abro praí umas 4 ou 5 gavetas, já para não falar que as bancadas são feitas para mini pessoas (a sério, parece que alguém encolheu a cozinha!). É isso e a quantidade de tralha que habita no meu quarto... depois de passar horas a arrumar tudo (e ainda não acabei!) fico com menos vontade de ir às compras (mas claro que me passa logo que ponho o pé numa loja). Como é possível acumular tantas coisas (e nem falo de roupa, falo mesmo de tralha!)? Acho que hoje é dia de extreme makeover (a parte da demolição, pelo menos).

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

O que se faz por cá

Só programas culturais, a saber: ida ao cabeleireiro (que odeio - às vezes acho que sou a única mulher que odeia este programa), manicure, pedicure e entrar em TODAS as lojas a que tenho direito. Claro que também já fiz a árvore de Natal (ah e tal ainda é cedo e mimimi, lamento...cá em casa já é Natal!) e consolei-me à grande com sandes de manteiga (sou moça de gostos simples, e o pão com manteiga, a saber a casa, é dos maiores prazeres de um pequeno almoço).

terça-feira, 19 de novembro de 2013

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

A última página

Neste momento estarei a caminho de Lisboa. E vou finalmente poder relaxar. Sim, que isto de enfiar uma vida numa mala de porão (e a quantidade de coisas que já despachei em malas de outras pessoas! e pelo correio, e afins...) deixou-me à beira de um ataque de nervos. Houve alturas em que, confesso, me apeteceu chorar. Mas a esta hora, a esta hora estará tudo resolvido. E já falta pouco, muito pouco para chegar a casa.

domingo, 17 de novembro de 2013

Adeus, Holanda

Foram quase 2 anos. Parecendo que não, há coisas que ficam, e a Holanda fará sempre parte de quem um dia fui. Até sempre.

(a minha rua - mais holandês do que isto não podia ser)

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Estão a gozar, certo?

Fui à farmácia pela primeira em dois anos na Holanda. "Queria o medicamento X, tem?", "Sim, tem a receita?", "Er...eu achava que era de venda livre, preciso de uma receita?", "Não, não precisa, mas tem a caixa?", "Desculpe?", "Só lhe posso vender o medicamento se vir a caixa", "Como assim?", "That's the rule". Game over. Quando um holandês vos diz "That's the rule", esqueçam, não vale a pena entrar nessa batalha. Mas fogo, a sério que eu levar uma caixa que se compra sem receita prova que eu tomo aquele medicamento? Mas estão a brincar comigo? Aaaaaaaaargh que nervos. E não, não tenho a caixa. Estou em mudanças e deitei toneladas de coisas inúteis, acham mesmo que eu ia guardar uma caixa vazia? Bah.

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Por isso é que me irrito quando me dizem "ah mas lá fora isto não acontecia"

(Porque em Portugal "lá fora" é sempre um sítio mágico onde tudo acontece com eficiência.) Pois que, cá fora, estou a tentar contactar uma pessoa desde o final da semana passada. Supostamente, deverá estar a trabalhar porque já mandei email e não recebi o out-of-office, e tinha obrigação de estar disponível já que está numa lista de contactos... Mas nada, é como se não existisse. Por isso, não somos sempre os coitadinhos que são sempre os piores em tudo, ok?

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Material Girl #1

Não fosse eu gastar o PIB de um pequeno país africano na nova casa além-mar, e teria todo um sem fim de coisas que iria provavelmente comprar (e rima! todo um talento para a poesia que foi desperdiçado...). Assim sendo, e como sonhar ainda não paga imposto, vou passar a listar tudo por categorias, porque eu gosto de listas e porque assim me organizo para quando tiver orçamento para novas compras. Uma pena quase ninguém que eu conheço ler o meu blog, senão iniciava a minha lista de Natal online, ahah.
As hostilidades são abertas com os guias de viagem que eu gostava de adicionar à minha colecção. A culpa é das imensas ligações que saem de Londres! Uma tentação!


sábado, 9 de novembro de 2013

Cansaço, muito cansaço

O dia do empacotamento geral chegou. E por mais que meta coisas em malas e caixas e o camandro, parece que outras tantas nascem para as substituir. Houve uma grande evolução, é verdade, mas ainda há muito trabalhinho para fazer nesta semana. Oh well.

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

I want to ride my bicycle

Vendi hoje a minha bicicleta mas ainda não me parece real que me vou embora. Acho que só quando empacotar tudo este fim de semana. Ou se calhar no avião. Adeus, bicicleta de sacos cor de rosa pastilha elástica, fomos muito felizes a passear à chuva.

domingo, 3 de novembro de 2013

Berlim

Adorei Berlim e por isso não podia deixar de postar algumas fotos para a posteridade.

 a catedral e a conhecidíssima torre na Alexanderplatz

 Brandenburger Tor

 memorial dos Judeus mortos

 trajecto do muro de Berlim, a atravessar uma das ruas da cidade

 Sony centre

 Checkpoint Charlie

 o famoso letreiro

 Na Bebelplatz, os Nazis queimaram mais de 20000 livros que consideravam ser "anti-alemães". Esta placa lembra não só esse momento como acrescenta uma frase de Heinrich Heine que diz qualquer coisa como "Onde queimam livros, acabam por queimar pessoas".

 adorei esta frase em plena Eastside Gallery

o famoso mural, infelizmente vandalizado (como grande parte do muro, diga-se...). Surpreendeu-me a quantidade de grafitis e assinaturas de "We love Berlin" e "We were here, love from...." Não percebo, honestamente.

Cheguei

Fui ali a Berlim, onde já cheira a Natal e está friooo (bem, aqui também, ia morrendo com o vento enquanto estava à espera do autocarro). Esta foi também a minha última chegada a Schiphol já que daqui a 2 semanas vou-me embora. Vou ter saudades de estar a meia horita do aeroporto, se vou. Fotografias para breve, obviamente!

terça-feira, 29 de outubro de 2013

007 Missão casa

Pois que dei início a uma application para alugar uma casa em Inglaterra, para a qual tive de preencher um formulário com informação acerca de mim, do meu emprego e do meu senhorio. Ah e tal, é um background check. Sinto-me a ser observada. Já não bastava o Obama ler os meus emails ainda vou ter uma empresa a verificar se vou trabalhar mesmo onde digo que vou trabalhar e se por acaso não sou mas é uma jogadora compulsiva que estoira o dinheiro no casino em vez de pagar a renda. Ou se estou na lista de indesejados do Cameron, que é capaz de lhe dar para aí.

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Saudades *

Apetece-me uma bica e um pastel de nata. Não precisa de ser de Belém, serve-me um do Sr.Martins da pastelaria de sempre. Apetece-me deambular no Chiado. Apetece-me uma pizza à beira-rio. Um sumo à beira-rio. Um passeio em Belém. Apetece-me ir às compras com a minha mãe ao Colombo (mesmo que isso seja muito pouco chique). Apetece-me sentar no sofá de casa e ver as notícias em português. Comer pão! Pão a sério! Com manteiga a sério! (perdoem-me o entusiasmo) Apetecem-me os abraços do regresso.Apetece-me Lisboa. 3 weeks to go. Estou quase no meu lugar à janela do voo da TAP.


*Quanto menos falta, mais ansiosa estou. Quase como uma criança na véspera de Natal.

domingo, 27 de outubro de 2013

Nada como não ter sono quando a hora atrasa

Acordei às 6h da manhã! (ou às 7h, pela hora de ontem) Aposto que amanhã vou resmungar quando o despertador tocar às 7h...

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Ai agora?

Agora que me vou embora é que abriu um ginásio mesmo ao pé de casa, com pilates e zumba e o camandro. Acho que isto é um sinal do universo que o desporto não é para mim....Hmm.

sábado, 19 de outubro de 2013

Haja prioridades

Para quê fazer uma lista de bens essencias quando há coisas tão melhores para comprar?





(tudo do IKEA, onde devo gastar uma quantidade ridícula de dinheiro no próximo mês - e sem trazer as coisas "giras", bah.)

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

It is the final countdown

Se estas próximas 4 semanas chegam ao fim eu não acredito que é verdade. Tenho uma to do list daqui até à China (trabalho, casa, mudanças, caixas, pesos e medidas), ando numa pilha de nervos enorme, durmo mal, não descanso e já mudei totalmente o chip pelo que não me apetece continuar aqui. Quero virar a página, partir para outra. Não, definitivamente a paciência é uma coisa que não me assiste para este tipo de coisas...4 semanas parecem-me a eternidade.

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Está visto

Se a minha carreira não resultar vou abrir uma agência imobiliária. UM dia é quanto tempo leva a alugar todo e qual sítio pelo qual eu manifesto interesse. Bolas, pá. Acho que a hipótese da tenda está cada vez mais próxima.

domingo, 13 de outubro de 2013

sábado, 12 de outubro de 2013

As mudanças

Então, Agnes, como vão as mudanças? Não vão. Casa, está de chuva (acho que vou mas é montar uma tenda ao lado do trabalho e está resolvido), as coisas estão semi empacotadas mas só daqui a umas semanas é que vou fazer o teste definitivo (ou seja, ver se sobra alguma coisa fora das caixas das mudanças), e os últimos relatórios para entregar ao meu chefe estão a consumir-me o bom humor. Isso e o próximo emprego implicar trabalhar até ao último minuto antes do Natal, isto vai ser chegar e sentar-me à mesa da consoada. Estou a começar a ficar stressada enquanto não fechar pelo menos uma destas pontas soltas. Argh.

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

A Primark

Já toda a gente botou faladura e eu lembrei-me de divagar sobre o tema. Para dizer que não percebo quem ama e quem detesta. Desconfio de quem diz "ai eu adoro os sapatos da Primark" (aquilo é demasiado plástico para adorar seja o que for) mas irritam-me bastante aqueles que são completamente anti, "ai que horror, eu só o cheiro, nem consigo entrar" e cenas. Eu cá confesso que já fiz grandes compras na Primark. Tenho 2 casacos que adoro e que têm bastante qualidade para as 30 libras que custaram (isto não é cá armar-me aos emigrantes, mas eu só costumo comprar no país da Kate), nada de tecidos manhosos e plastificados, um espectáculo. Carteiras, não consigo. Já aqui disse que me tornei na minha mãe e já só consigo comprar malas de pele, uma chiqueza, portanto. Sempre que vou a Inglaterra faço questão de passar por lá porque me anima encontrar blusas giríssimas a 10 libras, e coisinhas para o cabelo e um sem fim de acessórios do género por um preço bem simpático para a carteira. Mas não significa que adore a loja. Nem que encontre sempre coisas boas (há tecidos que não consigo usar de todo). E odeio a confusão de algumas lojas, o facto de serem muito grandes também me desorienta e deixo de conseguir analisar a roupa (daí que compre coisas numa Primark refundida no campo inglês mas não tenha encontrado nada em plena cidade de Londres, sou muito pouco fashionista, eu). O que me faz confusão nestas discussões acerca da Primark é o fundamentalismo. Assumir que tudo o que vem da Primark, ou da H&M, ou desse tipo de lojas é de péssima qualidade e de ainda pior gosto. Há de tudo como na farmácia. A mim, interessam-me ver os tecidos, desde que passem o teste do "apalpamento" (para averiguar a qualidade do mesmo), não tenho problema em trazer coisas da loja. Pronto, era só isto.

terça-feira, 8 de outubro de 2013

Dói-me tudo

Estou fungosa, dói-me o corpo todo e só quero um chá e uma mantinha. Mas antes disso, tenho que despachar os verbos reflexivos e os trennbare (como é que isto se diz? uf.) dos trabalhos de casa de alemão. E devia passar umas camisas senão não tenho nada para levar amanhã para o trabalho. Ninguém merece.

sábado, 5 de outubro de 2013

Bilhete de ida

Ainda acho que o voo que acabei de comprar é um daqueles que me leva a mais umas férias que terão Schiphol como regresso. Acho que só no dia em que vir tudo empacotado e os armários vazios é que vou perceber que hoje comprei finalmente o meu bilhete de ida. Agora é aproveitar a última meia dúzia de semanas no país das túlipas.

terça-feira, 1 de outubro de 2013

Festas populares

Pois que o Santo António cá da terra (pelo menos em termos de dimensão de festa) assentou arraiais em força. Não tenho autocarro para casa porque a rua está cortada, portanto tenho de ir a pé pelo meio da roda gigante, montanha russa e outras atracções que estão a ser preparadas desde o fim de semana, é quase como atravessar um parque de diversões até à porta de casa. Felizmente não moro na rua da festa propriamente dita (embora amanhã vá ser interessante ouvir a música à noite), mas não me agrada esta corrida de obstáculos. Pela minha parte, mal posso esperar pela próxima semana.

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Constatações

Foi a primeira vez desde os meus 18 anos que não fui votar (senti-me quase a fazer uma traição à pátria). Enquanto via as estatísticas dos resultados das eleições, fui parar por acaso ao site onde se pode saber mais informação sobre o nosso local de voto. Por curiosidade (e pela piada da coisa), escrevi os meus dados e demorei uns 5minutos a processar o resultado. Haia, Holanda. Eu sei que me registei no consulado, mas na minha cabeça eu continuava a ser da "minha" freguesia e ver assim "Haia, Holanda" caiu-me mal. Sobretudo por perceber que não vou voltar nos próximos tempos e vou ter outro consulado como futuro local de voto. Sou emigrante. Bolas, acho que nunca tinha sentido isso.

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

O Facebook

O Facebook consegue ser um lugar assustador. Entre pedidos para fazer isto ou aquilo na aplicação X ou Y, ainda tenho sempre aquelas pessoas que desatam a fazer declarações de amor para a sua cara-metade de 5 em 5 minutos ou que comentam todas as fotos que põem com um "a nossa cara de felicidade, amo-te muito meu amor", "vamos ser felizes para sempre" e outras coisas do género. Ou as que publicam imagens cintilantes onde põem a tag de toda a gente que se lembram. Enfim, há coisas que eu não entendo. Ou então devia fazer uma selecção das pessoas que tenho como amigas lá no estaminé, talvez seja uma ideia sensata.

domingo, 22 de setembro de 2013

A banda sonora da nossa vida #3


Esta música faz-me sempre sentir em casa e acho que era isso que me apetecia para esta semana. Estou a precisar de descansar. Urgentemente.

Aaah, a tecnologia

Tenho o raio do google.com em holandês e não há nada que eu faça que mude esta definição! Eu sei que lá em baixo na página está um atalho para o google.com "internacional" mas o meu computador afeiçoou-se ao holandês e não há nada que o faça mudar de ideias (ou, neste caso, de língua). Já agora ficam a saber que imagens é afbeeldingen, coisa mai linda.

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

10 anos depois


O regresso. A mesma sandes de atum e pepino. O mesmo sumo de maçã. Engraçado como há sítios e sabores que nos pertencem sempre.

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Reflexos ninja

Ganhei grandes reflexos a viver neste país. Segurar nas portas quando alguém vai atrás de nós? Why bother?

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

A (des)educação da prole

Estava eu descansada da vida nesse sítio interessante que é o Albert Heijn (para quem não conhece, é uma cadeia de supermercados) quando vinda do nada, e acompanhada de imensos gritos, chega até mim uma adorável criança a empurrar um cestinho com rodas até bater em cheio... nas minhas pernas (as mesmas que apresentam nódoas negras miseráveis de embates cá por casa). A mãe da criança vem direita à criança, a dizer qualquer coisa em holandês do género que isso não se faz (sem nunca falar comigo) e a criança com um ar atarantado sem desviar o olhar da minha pessoa e já a formar lágrimas (bolas, devo ser mesmo feia!). Eu só tive tempo de olhar para a criança durante 2 segundos e decidir desaparecer de cena. Quando achei que a prateleira dos iogurtes não tinha mais nada para me oferecer, olhei de novo e lá estava a criança, a ser consolada pela mãe, que isto de ir contra as pessoas enquanto se corre histericamente nos supermercados é uma coisa cansativa (e sim, ainda me seguiu com o olhar! aí comecei a ficar seriamente preocupada...serei eu, Agnes, o equivalente à bruxa má das histórias holandesas?). Vim-me embora a pensar que não percebo este género de educação. Eu sei que não tenho filhos, certo, mas já não se usa pedir desculpa? E as crianças depois merecem colo e palavras de consolo por terem estado a fazer disparates no minuto anterior? Eu não percebo nada disto, é o que é.

domingo, 8 de setembro de 2013

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

My own Match Point

 

"There are moments in a match where the ball hits the top of the net and for a split second it can either go forward or fall back. With a little luck, it goes forward and you win. Or maybe it doesn't, and you lose"

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Recordes

Parece que os holandeses que conheço não se lembram de alguma vez terem tido um verão tão quente como este e em que chovesse tão pouco. Soa bem (a parte da ausência de chuva agrada-me), mas os 30 graus de hoje com 90% de humidade matam-me. Não quero soar a pessoa com a mania da perseguição mas começo a achar que estou sempre presente neste tipo de fenómenos meteorológicos nos sítios por onde vou passando (e vagas de frio polar também se aplicam).

Croácia: a praia, o mar e os gatos

A água na Croácia é transparente. Transparente a sério, como nas piscinas insufláveis que se enchem para os miúdos chapinharem. Pena a praia ter calhaus em vez de areia, mas não se pode ter tudo.





Para terminar a reportagem fotográfica (stay tuned, que ainda falta o Montenegro!), não podia faltar a companhia constante desta viagem: os gatos! Imensos gatos por todo lado, em amena convivência com as pessoas, sem fugirem nem serem afastados. Como cat-person que sou, tenho que deixar aqui registo.