segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Ora então, Feliz Natal

Este ano não faço ideia do que se esconde debaixo da árvore de Natal e confesso que acho piada ao factor surpresa. Eu sei que o Natal é mais do que os presentes e partilho dessa filosofia, mas também gosto muito de voltar a ser criança neste dia e gosto muito de receber prendinhas, pois claro.
A todos os que passam por aqui, um Natal muito feliz. Aproveitem a companhia da família e comam doces sem remorsos, é só um dia por ano (vá, no máximo dois, nada de abusar da sorte).

sábado, 22 de dezembro de 2012

As coisas a que uma filha está sujeita

A minha mãe andou em arrumações (imitadora!) e decidiu invadir o meu armário com coisas dela. Acho que estou a ser posta fora de casa...

PS- Em contrapartida ganhei uma carteira muito gira, directamente do "baú". Gosto tanto!

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

O meu fim do mundo

Revirei os armários todos e estou em processo de arrumação. Para quê acumular tanta tralha que nunca uso? Ná, este ano acabou-se. Nada como fazer uma selecção do que está bom, do que posso dar, do que não tem esperança. E sinto-me muito melhor! Se eu tivesse que estar muitos dias em casa acho que  o fim do mundo começava por aqui, ahah.

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

De mim para mim

Os meus pés têm hábitos mais "finos" do que a minha carteira: os sapatos de plástico fazem-me transpirar como se não houvesse amanhã, as sabrinas de 90% das lojas magoam-me nos calcanhares, enfim, esqueçam os produtos tipo Zara e afins, que tirando botas não consigo usar nada. Uma tristeza. Por isso, como me portei muito bem este ano (cof cof cof), decidi oferecer-me um par de sabrinas pretas, clássicas, sem nada de especial, da Pretty Ballerinas. Não fosse elas terem ficado muito estranhas na fotografia, até acrescentava a imagem, assim sendo vou só roubar da internet:

Gosto tanto delas!

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

sábado, 15 de dezembro de 2012

Oups

Uma pessoa percebe que mora mais aqui do que "em casa" quando faz uma mala para 3 semanas fora da Holanda e repara que não se nota grande diferença nos armários. É toda uma perspectiva aterradora pensar como raio me vou mudar daqui quando o meu contrato acabar...

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Um ano em cheio


Este ano, por pouco que Schiphol não foi a minha segunda casa. A verdade é que, para fazer visitas ou apenas turismo, este foi o ano em que mais andei de um lado para o outro (uma média de uma viagem por mês!). Viajar é sem dúvida o melhor "luxo" que posso ter.
Em jeito de "2012 em imagens", aqui fica a lista ilustrada para mais tarde recordar.

Copenhaga

Londres

O "campo" inglês

"A" viagem, NY

Pelo meio, algumas viagens a casa 
 
e passeios pela Holanda 

Antes do ano acabar ainda vamos ter um destino que está pendente desde...hm...2003. Edimburgo! Finalmente, a Escócia!


Foi um ano farto, venha o próximo.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Constatações meteorológicas

A intensidade do frio mede-se pelo facto de ser ou não suportável andar sem luvas. Isso e pela sensibilidade (ou falta dela...) na cara ao fim de 2 minutos a pedalar.

Ainda só é quarta feira...

Se o arrependimento matasse já aqui ficava... Devia taaanto ter marcado o meu voo para este fim de semana e não a meio da próxima semana! Estou aqui que não aguento mais para ir para casa. E os meus colegas já estão fartos de me ouvir "bolas, Agnes, mas já vais estar tanto tempo em casa". Não, não vou. É isso e aquelas pessoas que vão 3 dias a casa no Natal e voltam logo a correr para passar aqui o fim de ano. Desculpem, não entendo. Eu dava tudo por mais uns dias com a minha família.

(sim, estou em modo piegas)

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

As coisas surreais que me acontecem por aí

Desde sempre que atraio as situações e pessoas mais bizarras nos transportes públicos. As minhas histórias na Carris davam toda uma novela (Carris! ahhh, as saudades! quem havia de dizer que afinal até funcionas bem!) mas no país das tulipas foi hoje a primeira vez que fui abordada por outra pessoa. Assim sem mais nem menos, uma senhora dos seus 50 e muitos anos senta-se ao meu lado e desata a falar em holandês. Não sei o que achei mais surpreendente, o facto de eu até perceber o que ela me estava a dizer, se ela ter começado uma conversa comigo, just like that. Mas não pensem que foi uma conversa de "então e o autocarro veio atrasado, não?", nada disso! Foi toda uma história de vida. Saber que não é de cá (aaah, 'tá tudo explicado), que chegou há um ano e anda a aprender holandês (aí fiquei desmoralizada porque a mulher falava pelos cotovelos, numa fluência impressionante), que ia fazer um exame porque precisava de ter um exame de língua por não ser da União Europeia, mostrou-me os apontamentos das aulas, muito orgulhosa do seu caderno com os verbos e o vocabulário todo, comentou que os bilhetes estão mais caros agora com a nova empresa de transportes, perguntou se eu sabia quanto se pagava agora pelas viagens, e de onde eu era, e o que fazia, e tudo e tudo. Foi uma loooonga viagem de autocarro, a tentar articular frases em holandês e desejar que a minha paragem chegasse depressa. É que a senhora até era simpática e a mim custa-me despachar alguém. Só ia escrevendo mensagens no telemóvel, à espera que ela parasse de falar porque o meu cérebro só aguenta uma certa quantidade de holandês por dia e hoje foi claramente ultrapassada... Para a próxima, não me esqueço dos phones em casa, é certo.

sábado, 8 de dezembro de 2012

Um Sábado de sol (mas frio, muito frio)

Aproveitei e fui fazer as últimas compras de Natal, com direito a voltinha no mercado e petisco holandês, o kibling, que é como diz, bacalhau frito. Confesso que nunca tinha provado e até gostei! Molham o bacalhau num molho à escolha e pronto, depois é só sentir o colestrol a entrar na veia.


Pelo caminho, armei-me em turista e tirei algumas fotos com o telemóvel. Moro numa cidade de bonecas, é o que é. E sim, o que vêem no canal é mesmo gelo!


 (ok, este é uma pista de gelo, não conta, obviamente)


sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Afinal sobrevivi

Ok, na hora de sair de casa duvidei um bocado de que seria capaz de chegar ao trabalho nas horas seguintes (nevava imenso... ok, nevava para caraças é capaz de ser a expressão mais adequada). A verdade é que acabou por não ser tão mau como anunciavam e, como sou turista, obviamente que tirei fotografias para a posteridade. 


quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Esqueçam a previsão dos Maias...o fim do mundo é amanhã

Pelo menos, é o que me está a parecer de acordo com o aviso que recebi:

" Reports are coming in that the weather scenario for tomorrow could not
be worse. From midnight snow will begin falling in the Netherlands.
Weeronline.nl expects the fiercest storms to occur in the west during
the morning rush-hour. They are predicting an average of 10 to 12 cm
in this area, with local drifting up to 15 cm and more.

The worst snowfall is predicted to be between 7 and 9 o'clock in the
morning. Strong winds may also give rise to blizzard conditions and
snow drifts. Together with poor visibility, these conditions will
cause additional danger on the road and lanes may be closed."

Pronto,  está tudo muito certo, agora vamos lá ver como raio vou trabalhar amanhã, se é que vou trabalhar amanhã. A verificar-se este cenário de apocalipse, adivinho já paralesia total dos autocarros... Vai ser interessante. Mi aguardem.

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

O desespero final

Faltam 2 semanas para chegar a casa. A casa que vai ter a árvore de Natal de sempre à minha espera e a mesa posta com doces e o meu prato preferido. E vai cheirar a velas de frutos vermelhos, daquelas que se vendem no IKEA e que a minha mãe queima religiosamente no hall de entrada. E de repente os dias parecem-me mais longos porque ainda faltam duas semanas e o calendário teima em não avançar. E as semanas estão a ser sequências intermináveis de dias e eu estou cansada, tão cansada, que dava tudo pelo sofá da minha sala. O sofá da minha sala verdadeira.

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Eu juro que gostava

Vejo aqueles blogs com pessoal cheio de estilo a passear por NY, Paris ou Londres com uns casaquinhos finos, uma blusa e um cachecol mais a atirar para o féchion do que propriamente a "tirar" o frio e juro que não compreendo como é que possível não morrer de hipotermia. Olho para o meu outfit diário que inclui obrigatoriamente um kispo do estilo michelin e ... pois... não dá, tem mesmo que ser isto (e ainda nem começaram as temperaturas negativas!). Estou condenada a ser uma pessoa sem estilo, mas ao menos ando quentinha. (e sim, tenho pena porque o casaco michelin cansa p'ra caraças... acho que vou comprar mais um ou dois em cores diferentes para não sentir que estou sempre a vestir a mesma roupa).

domingo, 2 de dezembro de 2012

É que têm todos o mesmo discurso...

Tenho bons amigos italianos mas se há coisa da qual não tenho paciência para falar com eles é de...comida italiana! A sério, gente, não há povo mais picuinhas do que aquele, não se aguenta. Um italiano acha que só um italiano sabe cozinhar comida italiana. Não interessa, é uma coisa qualquer que está no código genético e não há nada que vocês possam fazer contra isso. E mesmo os italianos que têm restaurantes...não é certo que sejam aprovados pelos compatriotas. Por isso, esqueçam sugerir um restaurante italiano para ir jantar com um grupo de pessoas. Os italianos estarão sempre a dizer se aquilo é na verdade assim ou assado, e que nenhuma pizza de gente leva ananás (não interessa se é bom, se fica bem...então porquê? adivinharam: porque uma pizza não leva ananás e é assim que as coisas são), que o molho da massa tem na verdade mais 0.01 cl de molho do que é suposto e oh meu deus que o prato ficou arruinado, que a massa está mais cozida do que é suposto (porque ficou mais 30 segundos ao lume...e isto podia ser eu a gozar, mas juro que ouvi, embora em casa de um colega), ou que o prato que se chama penne al pesto até está bom mas não é seguramente penne al pesto porque tem demasiado molho (ênfase que o "demasiado" se mede em micro mililitros). E nem ousem, jamais em tempo algum, cortar qualquer tipo de massa, isso é uma heresia que vos põe no inferno dos que ofenderam os deuses pastianos. Às vezes cansa-me, juro. E também juro que, por mim, cada um pode comer o bacalhau como quiser, que afinal, dizem que há centenas de receitas com ele e não fico chocada se alguém o quiser com ananás.

sábado, 1 de dezembro de 2012

E de repente é Natal

A prová-lo, temos a árvore com enfeites vermelhos e luzinhas a piscar na sala cá de casa. É provável que nos tenhamos de vir a desfazer deste pedaço de Natal que comprámos, mas a verdade é que de alguma forma nos faz sentir mais em casa, mesmo que esta não seja a nossa casa.