quinta-feira, 30 de agosto de 2012

É por estas coisas que gostava de ter um carro

O meu trabalho não fica propriamente no centro de uma cidade o que faz com que não haja grande variedade de transportes públicos para lá chegar. De manhã, e dada a quantidade de pessoas do trabalho que me acompanham, sinto-me sempre num daqueles autocarros escolares que aparecem em todo e qualquer filme americano o que até pode parecer muito giro mas eu não gosto nada. Gosto de ir em paz e sossego com o meu iPod sem ter de fazer conversa com A, B ou C que se sentam ao meu lado e desatam a falar do tempo ou das férias ou seja lá do que for. Também gosto de conversar, sim, mas quando me apetece, o que nestas circunstâncias nunca é uma escolha mas quase sempre uma obrigação.

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Agora deu-lhes para isto

Depois da Alemanha, também a Holanda encontrou uma bomba da II Guerra Mundial. E logo no "meu" terminal do aeroporto!

Back to business

Já voltei e, como sempre que volto de qualquer sítio, é sempre difícil retomar a rotina. Sobretudo porque volto sozinha e a vida não tem metade da piada quando se está sozinho. Quanto a Londres, continua a ser a cidade fantástica que idolatrei durante toda a minha adolescência.

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Agora é que é


Espero descansar q.b. e fazer algumas compras (a minha veia consumista está ansiosa, confesso). Beijinhos e abraços. 
Ah, São Pedro, como agora somos amigos fico à espera de uns dias fixes por lá (meaning: sem chuva), obrigada!

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

O Outono aí à porta

Eis que depois de ter passado algum frio* hoje decidi que a época da bela da sandália em terras holandesas terminou hoje. Até 2013.

* No complains, São Pedro, tudo tranquilo.

A "luta" do momento

Acho piada à indignação geral com a nova medida do Pingo Doce. É chato? Imagino que sim, acaba com a comodidade de chegar à caixa e pagar com cartão quando se vê que afinal não se tem dinheiro suficiente. Mas, bolas, é preciso tanto drama à volta disto? Tanto apelo ao boicote, tanta indignação? Dos comentários que li pela internet fora (então nos jornais online a coisa é o descalabro total) é o "vamos fazer isto e aquilo", misturados com bastantes "nunca mais lá vou" e alguns "são todos uns malandros", mimimi. E depois, o que é mais engraçado é que não vejo a mínima vontade de alterar e lutar seja pelo que for noutras áreas e isso, desculpem lá, faz-me espécie. O tuga só gosta de lutar por estas coisinhas pequeninas, aí movem-se montanhas e faz-se e acontece-se e durante uma semana não se fala de outra coisa. Depois arranja-se outra coisa pela qual lutar, de preferência numa qualquer conversa de café e relacionada com o sistema de senhas da segurança social ou a nova transferência de um qualquer jogador do Benfica.

terça-feira, 21 de agosto de 2012

London calling

 (daqui)

E eis que 9 anos depois (uau, de facto assim parece imenso!), regresso a Londres. Já estava na hora de voltar à cidade que mais vezes visitei e agora na melhor companhia de sempre. A contagem descrescente para o fim de semana prolongado já começou...

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Home...is where the heart is

Há dias em que me farto de estar aqui. Dias em que me sinto sozinha independentemente do número  de pessoas que estejam à minha volta. Nesses dias, como hoje, sinto falta das coisas mais pequeninas e insignificantes como o cafézinho antes das aulas de Espanhol ou os jantares de sábado no indiano onde o senhor me trazia o Ice Tea de limão mesmo sem eu pedir. Eu sei que isto é o meu cérebro a meter-se comigo e a transformar-me o coração num berlinde sempre que penso em casa. E sei que amanhã ou depois vai passar e vou voltar a estar animada com a minha nova realidade. Mas o que me dói mesmo é ver passar datas especiais, e receber convites para casamentos, baptizados, aniversários e afins e não poder estar lá. Seja esse "lá" Portugal ou outro qualquer país. Mas o dinheiro não estica e as férias também não e acabo por me sentir presa na Holanda, o que (tenho de confessar) às vezes me faz odiar um bocadinho este país. Surpreendente é pensar que ainda só passou meio ano desde que aqui cheguei, por isso devo ser mesmo uma "menina" e estou-me a lamentar quando ainda nem fiz um ano de casa... Isto de ter a vida em stand-by e do "vamos ver onde estamos em 2013 ou 2014" não é mesmo para mim. Guess what, Agnes, é o que temos...

domingo, 19 de agosto de 2012

Caro São Pedro

agradeço do fundo do coração o calor que tens dispensado para os Países Baixos mas realmente isto está um bocadinho demais para estes lados... Não quero que penses que sou uma moça mal agradecida, mas é que 32º com 200% de humidade não é propriamente um ambiente muito confortável, além de que nesta terra o ar condicionado é uma invenção com poucos seguidores e a praia com água castanha e alforrecas não é propriamente uma alternativa apelativa daí que sobreviver se torne uma tarefa mais difícil. Assim sendo, e se não for pedir muito, podias voltar aos 20 e poucos graus? Acredita que a vida no meu escritório-sauna ia ser bem mais agradável.

Beijinhos e abraços,

Agnes.

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Sabemos que o apocalipse está para chegar...

quando está um sol radioso na Holanda e um dia de outono em Portugal. Foi assim hoje. Claro que agora ao final do dia a coisa já compensou e temos chuva e trovoada. Já posso dormir descansada que o mundo não acaba amanhã, ufa.

sábado, 11 de agosto de 2012

A Educação Física e as medalhas

Toda a polémica em torno das aulas de Educação Física e em como isso se reflecte em 50 mil coisas e acaba nos Jogos Olímpicos (?) e na falta de medalhas para Portugal é coisa para me deixar sem paciência. Sim, as aulas de Educação Física são importantes e até podem contribuir para se gostar de uma ou outra modalidade (eu acabei a jogar voleibol na equipa da escola) mas sinceramente enquanto as frequentei elas representaram o meu trauma semanal (ao ponto de me lembrar perfeitamente da alegria que foi ter a última aula). Ou a pessoa nascia com jeito para aquilo e o professor a usava como exemplo para execução de exercícios ou nada era feito para mudar isso. Ah e tal "serve para fomentar o gosto dos alunos pelo desporto". Tretas. As aulas eram uma mera frustração para todos aqueles que (como eu) tentavam, sem sucesso, repetir as piruetas e os saltos encarpados e no final levavam um 12. Porque até podem dizer que se deve ter em conta o esforço mas isso nunca é verdade, a pessoa não faz, não tem nota (e vendo bem a questão, até nem seria justo para todos os meus colegas que faziam toda a sequência na perfeição). Em contrapartida não sou uma pessoa que odeia desporto, pelo contrário. Gosto imenso de fazer aeróbica, pilates e ioga, vou com prazer ao ginásio, também corro, e um dia quando tiver tempo quero ver se aprendo a nadar em condições em vez do estilo foca que me caracteriza. Se foi graças às aulas de Educação Física? Não, de todo.
Já o Desporto Escolar, por outro lado, é uma excelente oportunidade que os miúdos têm de experimentar e competir em diferentes modalidades que de outra forma lhes estariam vedadas. Seja porque não há clubes nas redondezas (esqueçam-se de Lisboa e dos grandes centros e pensem em localidades sem tantas instalações desportivas, eu conheço umas quantas), seja por falta de capacidade financeira de frequentar actividades extracurriculares. E claro que é sempre um orgulho imenso competir pela nossa escola. Ainda hoje tenho um grande carinho pelo voleibol e guardo uma medalha de 2ºlugar que me foi dada há mais de uma década.

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

É assim que tudo começa

Uma pessoa percebe que está a um passo de se transformar no típico emigrante "vacance" quando a meio de uma conversa com uma amiga, em português, desata a falar inglês sem dar conta até que a outra pessoa diz "mas olha lá, estás a falar em inglês porquê?". Não sei se me devo preocupar ou não...

domingo, 5 de agosto de 2012

Desejos consumistas

Apesar de andar em contenção financeira, anda-me a apetecer ir às compras (ainda dizem que o dinheiro não compra felicidade). 

Tudo da Zara. Claro que eu devia era procurar uns bons casacos de Inverno, já que
a) esta roupinha não se veste muito tempo por estes lados
b) no último Inverno (perdão, Primavera) usei tantas vezes o mesmo casaco de penas que já enjoava o raio da cor, pelo que percebi que é importante apostar na variedade da roupa da "camada exterior".
 
Veremos então no próximo fim de semana, quando for dar uma voltinha pelas lojas.

Random facts de um domingo à tarde

Estou a ver os Jogos Olímpicos com relato em Holandês o que faz com que eu perceba uma palavra de 500 em 500. Entretanto acabei de reparar que a minha casa acabou de ser fotografada por um casal de turistas e achei piada que o meu quotidiano seja motivo de uma fotografia.

sábado, 4 de agosto de 2012

Um dia diferente

Apesar das duas chuvadas valentes que me fizeram ficar com as calças ensopadas até ao joelho ou mais (sem exagero), até se esteve bem por Amesterdão. E houve sol e tudo, foi a loucura (literalmente...eu acho que este tempo sofre de distúrbios de personalidade). 
Ficam as fotos para a posteridade (peço desculpa pela fraca qualidade das mesmas).






Ora aí está uma coisa que nunca pensei fazer

Vou à Gay Parade em Amesterdão! Não é por preconceito ou seja o que for, mas não me imaginava a ter um plano destes para sábado à tarde. Toda a gente diz que vai ser giro, por isso alinhei- Veremos, então. Até loguinho.

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Quando estive em Portugal comprei estas calças na Zara:

Agora pergunto em que ocasião as vou vestir, já que no trabalho vou-me sentir super overdressed com elas...

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Momento cultural do dia #6

Como é que esta gente aguenta jantar às 18h? Não têm uma fome desmesurada quando se levantam no dia seguinte? Sim, eu penso nestas coisas quando venho a caminho de casa, mas é que as esplanadas cheias de pessoal a jantar (já que está sol) levantam-me estas dúvidas existenciais...


Nota: Hoje o humor blue passou-me. Não sei se o meu modo rise and shine veio para ficar, mas eu de facto não tenho vida para ser abalroada pela nostalgia, por isso tanto melhor.

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Tenho o blog ao abandono. Isto de chegar de férias é muito bonito, mas a saudade (ou seja lá o que for que isto é - ainda não percebi bem) está-me a bater mesmo cá no fundo. Talvez por isso não tenho tido vontade de escrever sobre seja o que for. Talvez daqui a uns dias quando me (re)habituar a viver sozinha no país das tulipas.