sexta-feira, 29 de julho de 2011

Às vezes canso-me deste processo interminável iniciativa-espeeeeeeeeera-desilusão. Há dias em que (e não me orgulho disso) já não acredito muito. Felizmente, são poucos esses momentos.

domingo, 24 de julho de 2011

Depois da Amy, depois de Oslo, só me ocorre isto

"Os homens perdem a saúde para juntar dinheiro, depois perdem o dinheiro para recuperar a saúde. E por pensarem ansiosamente no futuro esquecem o presente de forma que acabam por não viver nem no presente nem no futuro. E vivem como se nunca fossem morrer... e morrem como se nunca tivessem vivido."

Dalai Lama

sábado, 23 de julho de 2011

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Aplicar um pouco de Walt Whitman sobre a desmotivação.

O me! O life! of the questions of these recurring,
Of the endless trains of the faithless, of cities fill'd with the foolish,
Of myself forever reproaching myself, (for who more foolish than I,
and who more faithless?)
Of eyes that vainly crave the light, of the objects mean, of the
struggle ever renew'd,
Of the poor results of all, of the plodding and sordid crowds I see
around me,
Of the empty and useless years of the rest, with the rest me intertwined,
The question, O me! so sad, recurring--What good amid these, O me, O life?

Answer.
That you are here--that life exists and identity,
That the powerful play goes on, and you may contribute a verse.

(Walt Whitman)

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Manias que me irritam

Há dias no metro ouvi um diálogo entre um homem e uma mulher em que ele lhe explicava como odiava andar de autocarro e como o metro era tão mais cool! Entre outras coisas incluia também considerações acerca de isto aqui em Lisboa ser fraquinho, que isto ao lado de Nova Iorque ou Barcelona, pfff, nada a ver, sim, porque ele conhecia aqueles metros como a palma da mão e isso sim é uma coisa a sério e aí ela tinha razão para não se conseguir orientar através do diagrama da rede. Sim, pára tudo, a senhora em questão não estava a conseguir perceber como ir de Entrecampos - estando já dentro do metro, atenção! - para a Praça de Espanha... Perdoem-me os mais sensíveis, mas não estou a ver como é possível uma pessoa dotada das capacidades normais de discernimento e orientação de um adulto saudável não conseguir perceber o trajecto depois de localizar a Praça de Espanha na linha azul. Adiante.
Tudo isto para dizer que não percebo o ódio aos autocarros, que já ouvi de imensas pessoas, com os comentários de é tão do povo, ou o sempre elucidativo é horrível. Mas de onde raio saiu a ideia que só o metro é que é um transporte suficientemente elitista e cosmopolita? Será que o comboio também é um fashion faut pas? Ou será a tendência de transporte deste Outono-Inverno?

quinta-feira, 14 de julho de 2011

questão existencial-literalmente!

Deve ser do verão, que puxa às festividades e aos vestidos cai-cai, mas os casamentos de amigos e colegas parecem proliferar (e a grande velocidade, dados os comentários que já li por essa blogosfera fora...). Acho que mesmo depois da surpresa inicial (que surpresa inicial? eu continuo sem palavras!) ainda não me habituei a ter alguém da minha idade de anel no dedo. É isso e pensar que a minha mãe ficou grávida com mais dois anos do que tenho agora! God, estou a ficar velha! E sinto-me a mesma de sempre... (hello? não poderá ter havido aqui um erro na contagem do tempo, não? anyone?)

terça-feira, 5 de julho de 2011

Ainda há pequenos prazeres

Com grande pena minha, acho que nunca vou conseguir explicar como eu adoro o azul do céu, daquele mesmo intenso e cheio de luz. Aquele azul tão "do sul", tão nosso e tão "casa".
Nos meus (não muito longos) tempos de emigrante, o que me fez mais falta foi este azul e a luz branca a reflectir no casario. Digam o que disserem, para mim este azul só existe aqui. E é por isso que adoro os meses de verão, quando é dia até tão tarde. E isto chega para me sentir em casa, e um bocadinho mais feliz.

(foto minha)

Coisas da vida

Se um chefe disser tudo o que lhe apetece, é excêntrico e tem "personalidade forte". Um empregado, por seu lado, é simplesmente mal educado. Se calhar, só eu é que acho que nestas coisas deveria haver uma tabela de educação para todos.