quinta-feira, 16 de junho de 2011

As gorjetas

Pensando assim, a frio, não percebo por que é que "fica bem" dar uma gorjeta quando nos agrada o serviço num restaurante, por exemplo, afinal de contas não é o trabalho deles? Se o meu trabalho for absolutamente genial, quanto muito levo um "muito bem", que o meu chefe não me vai dar mais uns trocos para eu ir tomar um café... Se não acho que dar gorjeta possa servir de incentivo? Poder, pode, mas também é verdade que muitos parecem esperá-la mesmo que tenham feito pouco mais do que abrir a garrafa de água. E não, não me parece que deva ser uma obrigação minha deixar um valor superior a um serviço pelo qual eu já paguei.
Não quero com isto dizer que acho que não deviam existir recompensas materiais, para além do salário. Situações nas quais me parece legítimo haver os chamados bónus são aquelas em que um trabalho bem feito implica algum tipo de contrapartidas para uma empresa, como conseguir um cliente importante ou um novo projecto. Mas num restaurante (quem diz restaurante, diz um serviço similar)? Não percebo...

Sem comentários:

Enviar um comentário