quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Os meus genes de revolucionária sentem-se quase ofendidos com notícias destas

O Público publicou hoje esta notícia no seu site:

O que eu gostava mesmo de saber é quem são estas 1002 pessoas que responderam ao inquérito. Terão todas vivido antes de 1974 para conseguirem ver a diferença? Ou já não se lembram? Acharão, por acaso, que existiam as mesmas oportunidades que estão hoje disponíveis? Ou que a classe média como hoje a conhecemos podia dar-se ao luxo de fazer o que hoje se considera mais ou menos normal? Não consigo entender como se pode idolatrar um regime que mantinha os cofres cheios à custa da miséria de um povo analfabeto e atrasado. E já nem falo da liberdade e da democracia.
Ler os comentários, então, é ainda mais desesperante. Este saudosismo pelo “tempo do Dr. Salazar”, como já ouvi nesse antro de cultura popular que são os autocarros, não só me deixa incrédula como consegue lascar a confiança que vou mantendo no meu país.

2 comentários:

  1. A questão aqui é só uma, se as pessoas começam a ter saudades desses tempos é porque estão a ver na vergonha que este país se está a tornar. E o mal nao é para os que viveram antes do 25 de Abril, porque mais uns anos e já cá não estão para ver o desfecho da história. O mal é para os jovens que se esforçam por tirar um curso, por serem e fazerem melhor e não há trabalho, não há nada. Ate ja está previsto que mais uns 30 anos e nem reformas há. Vai ser brilhante.
    Se queres a minha opiniao, faz falta um Salazar às vezes, faz sim. Está tudo farto da Uniões Europeias e de querermos parecer mais do que somos. Portugal sempre se encostou, não faz grande coisa para desenvolver as capacidades que tem e estamos a ver onde isso vai parar. A continuarmos a ter apenas investimento estrangeiro e praticamente nenhum Português, a continuarmos a importar tudo e mais alguma coisa, não vamos longe com toda a certeza :)

    ResponderEliminar
  2. Eu não acho que estejamos bem, pelo contrário. E concordo totalmente quando dizes que Portugal sempre se encostou, é até por isso que o Salazar era bom, já que decidia por todos e não havia discussão, as pessoas não tinham que pensar, nem esforçar-se porque o Estado mandava. Falta iniciativa e falta sobretudo visão a longo prazo. Aos políticos só interessa o aqui e agora e ganhar as eleições mais próximas. Daqui a 15 ou 20 anos os outros que se preocupem com os resultados das medidas que foram tomadas.
    Não tenho uma receita para endireitar o país, mas na minha opinião isso não passa por voltar a um regime que conseguia dinheiro hipotecando o desenvolvimento. E não acho que densenvolvimento seja o TGV ou mais uma ponte sobre o Tejo, é antes apostar na educação e seguir a regra básica de um orçamento: não gastar mais do que se produz. Há até um artigo muito interessante na Pública da semana passada acerca do segredo dos países nórdicos para serem os "melhores" do mundo, logo ponho o link aqui no blog.
    Beijinho e obrigada pelo comentário ;)

    ResponderEliminar